Amazonas Destaques Manaus Política

Wilson Lima destaca avanços no primeiro ano de governo e prioridades para 2020

Governador ressalta que, em um ano, evitou colapso das contas, manteve serviços e retomou investimentos

Em balanço de um ano de gestão, nesta quinta-feira (02/01), o governador do Amazonas, Wilson Lima, destacou que o Estado avançou em áreas estratégicas a partir da adoção de medidas que evitaram o colapso das contas públicas em 2019, herdadas com déficit e dívidas acima de R$ 3 bilhões. Para 2020, ele anunciou como prioridades a ampliação da eficiência da máquina pública, melhoria de serviços públicos e execução de projetos para o desenvolvimento econômico.

“Eu nunca estive tão otimista em minha vida como estou nesse ano de 2020. O ano de 2019 foi um ano bem complicado, mas foi um ano pra gente superar as dificuldades, superar as crises e construir a nossa base. A gente começa o ano com uma situação financeira bem melhor do que a gente pegou no ano de 2019 e já com recursos alocamos para algumas obras importantes, como é o caso da AM-010 (Manaus – Itacoatiara)”, declarou o governador.

Segundo o governador, a gestão estadual avançou de forma significativa no projeto de modernização e controle dos processos internos, garantia de uma gestão mais responsável e eficiente. “Hoje a gente tem controle e sabe de tudo que está acontecendo no estado. Caminhamos para um processo de modernização e de controle em tempo real, onde com um clique eu assine um documento e também possa saber como está uma obra em andamento lá no município de Tabatinga, por exemplo”, afirmou Wilson Lima.

Finanças – Durante apresentação do balanço, Wilson Lima destacou que o Estado adotou em 2019 uma série de medidas para fazer frente ao rombo nas finanças e garantir serviços nas áreas de saúde, educação, segurança pública e cidadania, além de assegurar salários de servidores em dia. Com gestão mais eficiente, o Governo também retomou e/ou iniciou 132 obras. Desse total, 34 foram concluídas em 2019; investiu mais de R$ 222 milhões no setor primário e iniciou ações para desenvolver alternativas econômicas.

Entre as medidas adotadas, destacam-se o Decreto 40.645/2019 (decreto da qualidade do gasto), que garantiu economia média mensal de R$ 60 milhões, a partir de julho de 2019, e a redução nos gastos com combustíveis (-46%), passagens (-10%) e diárias (-15,9%). Somente com essas medidas, a economia chegou a R$ 376 milhões.

Para auxiliar na redução do déficit orçamentário e dívidas, Governo e Assembleia Legislativa do Estado (ALE-AM) aprovaram, em 2019, a Lei Complementar nº 198, que fixou teto de gastos do Executivo; a Lei nº 4.864, que ampliou o uso de recursos dos Fundos de Fomento ao Turismo, Infraestrutura, Serviços e Interiorização do Desenvolvimento do Amazonas (FTI) e de Apoio às Micro e Pequenas Empresas e ao Desenvolvimento Social (FMPES) para saúde e administração; e a Emenda Constitucional nº 112, que desvinculou recursos para melhor gestão orçamentária e financeira.

O Governo também aprovou, junto à ALE-AM, a reforma administrativa estadual; a adequação da contribuição previdenciária conforme determinação do Governo Federal no âmbito da reforma da previdência; a contratação de empréstimos e a recuperação de autos de infração da Petrobras para reforçar a receita estadual.

“Eu tenho dívidas ainda de 2015, 2016, 2017 e 2018. Boa parte dessas dívidas está judicializada. Estamos fazendo um levantamento para pagar tudo o que restou ainda de 2019 e continuar a negociação do que ficou do final de 2018. O ‘para trás’ é algo que deve se transformar em precatório, e no momento em que se transforma em precatório, coloca-se para o orçamento seguinte”, explicou o governador.

Resultados – As medidas permitiram ao Estado, além da economia de gastos, encerrar 2019 com o pagamento dos servidores em dia, inclusive o 13º, que injetou mais de R$ 430 milhões na economia; destinar R$ 249 milhões para sanar dívidas de governos passados; investir R$ 367,2 milhões do FTI na saúde; e recuperar R$ 240 milhões da Petrobras para reduzir despesas com fornecedores e reforçar repasses ao Fundeb, aos municípios e aos poderes legislativo e judiciário.

As operações de crédito aprovadas vão garantir R$ 400 milhões do Banco do Brasil, destinados ao Fundo Garantidor de Parceria Público Privada (PPP) Estadual, com melhorias no Hospital da Zona Norte; à contrapartida de operações de crédito, garantindo continuidade de obras; e ao pagamento principal da dívida.

Com o Banco Mundial, a expectativa é fechar operação da ordem de US$ 250 milhões que serão investidos em tecnologia para modernização da máquina pública.

Prioridades para 2020 – Wilson Lima destacou que, para o segundo ano de Governo, está entre as prioridades a modernização do Estado para reforçar o equilíbrio das finanças. O orçamento para este exercício é da ordem de R$ 18,7 bilhões. Na área da saúde, o Estado já iniciou o processo de reengenharia da gestão, que vai avançar para aumentar a eficiência e reduzir déficit.

“Estamos fazendo algumas reestruturações físicas em algumas unidades, como é o caso do Pronto Socorro João Lúcio, que nós vamos reformar e ampliar aquela unidade. Vamos construir um hospital no município de Manacapuru, vamos começar agora no final de janeiro e início de fevereiro uma obra para ampliação de mais 30 leitos na maternidade Balbina Mestrinho, vamos entregar o Hospital do Sangue com a capacidade seis vezes maior do que a unidade que nós temos hoje, pra se tornar uma referência no Norte do Brasil”, destacou o governador.

Na segurança pública, o investimento vai priorizar reforço à estrutura e ações de inteligência. Na educação, melhorias estruturais e de gestão administrativa e pedagógica estão entre as prioridades.

No desenvolvimento econômico, o Governo vai avançar na execução de 18 projetos estruturantes do Plano Plurianual (PPA 2020-2023), incluindo a implantação do Distrito Agropecuário de Rio Preto da Eva e de Humaitá, e no projeto de concessão de florestas, para geração de emprego e renda de forma sustentável.

“No setor primário, a gente continua com os projetos que colocamos no nosso PPA (Plano Plurianual), de incentivo ao segmento, sobretudo na questão da piscicultura, subvenção da juta e da malva, da borracha, a retomada da atividade pesqueira no Estado do Amazonas, inclusive com a inauguração de novos frigoríficos no interior”, completou o governador.

Segundo ele, o governo elegeu 21 cadeias produtivas prioritárias para alocação de incentivos, aportes financeiros e assistência técnica neste ano. “É o caso, por exemplo, do açaí, do manejo do pirarucu – nosso objetivo é que não saia daqui só o couro e a carne do pirarucu, as mantas, mas que saia, por exemplo, já embalado em unidades de 1kg, pois aí eu agrego valor, e com a possibilidade de poder confeccionar alguns produtos aqui no Estado do Amazonas a partir do couro do pirarucu. Assim também estamos fazendo com outras culturas”, afirmou.

A defesa da Zona Franca de Manaus e o fortalecimento do polo industrial da capital continuam como prioridades, através de medidas definidas pelo Comitê de Assuntos Tributários Estratégicos (Cate), criado em 2019.

O governador destacou, ainda, a busca de parcerias internacionais para o desenvolvimento sustentável. Fruto de viagens que fez ao exterior, Wilson Lima articulou projeto, aprovado pelo Itamaraty, que autoriza o Amazonas a captar recursos para a Amazônia e iniciou conversas com investidores da Alemanha, Reino Unido e Estados Unidos, a exemplo da Fundação Moore, que estuda parceria para beneficiar projeto de recuperação da BR-319.

FOTOS COLETIVA: Diego Peres e Michell Mello / Secom

Publicações relacionadas

Hospital de campanha da Prefeitura de Manaus cria ‘crachás acolhedores’ para mostrar sorrisos ocultados pela máscara

Redação

STJ quebra sigilo de dados de lobista

Redação

Cenas absurdas flagradas na Empresa Samsung

Redação

Deixe uma resposta