Cotidiano

Vereadores abrem caminho para extinção de cobrador de ônibus em Manaus

MANAUS – Aprovado nesta segunda-feira (6) pela Câmara Municipal de Manaus, o Projeto de Lei nº 150/2022, de autoria da Prefeitura de Manaus, prevê a possibilidade de o motorista assumir a função do cobrador, algo que já acontece em algumas linhas de ônibus de Manaus. O projeto aprovado altera as regras do serviço de transporte público de passageiros.

De acordo com a propositura, “o pagamento da tarifa será feito pelo passageiro ao cobrador ou ao motorista devidamente identificado”. O projeto de lei também obriga o motorista, na execução do serviço, a “cobrar tarifa do passageiro quando a operação da linha for de caráter específico determinado pelo órgão gestor”.

Na sessão da Câmara de Manaus, o vereador Rodrigo Guedes (Republicanos) afirmou que a propositura aprovada “oficializa a possibilidade da extinção do cobrador”. O vereador Jaildo dos Rodoviários (PCdoB), que é ligado ao Sindicato dos Rodoviários, disse que, atualmente, 3 mil funcionários atuam nessa função.

Jaildo pediu que a prefeitura alterasse o projeto para que a regra fosse direcionada para os veículos do modal alternativo e executivo, que serão incluídos no sistema de transporte público de passageiros de Manaus. “Deveria estar discriminado aqui que esse artigo seria só para o transporte complementar”, disse o vereador. Ele não foi atendido.

Projeto de lei estabelece que motorista exerça função do cobrador (Foto: Sinetram/Divulgação)

O líder do prefeito na Câmara, vereador Marcelo Serafim (Avante), negou que a proposta tenha objetivo de extinguir os cobradores do sistema. Segundo ele, a dupla função valerá apenas para os motoristas de veículos de linhas específicas cuja arrecadação de dinheiro em papel é baixa, pois os passageiros usam o cartão passa fácil.

“Em algumas linhas, em domingos, em finais de semana, em alguns horários, nós temos a linha inteira que circula e ao final daquela linha você tem 20 a 30 reais de apurado, porque a maioria das pessoas já está ‘smartizada’. Essa tendência vai acontecer daqui pra frente. Cada vez mais as pessoas vão estar com o cartão”, afirmou Marcelo Serafim.

O projeto teve o voto contrário dos vereadores Raiff Matos (DC), Amom Mandel (Cidadania), Jaildo Oliveira (PCdoB), Sassá da Construção Civil (PT), Capitão Carpê (Republicanos), Rodrigo Guedes (Republicanos), Dione Carvalho (Patriota), Kennedy Marques (PMN), Ivo Neto (Patriota), João Carlos (Republicanos) e William Alemão (Cidadania).

Publicações relacionadas

PREFEITURA DE PRESIDENTE FIGUEIREDO PAGA R$ 7 MILHÕES PARA EMPRESA NÃO FAZER NADA. MINISTERIO PÚBLICO JÁ ESTÁ NA COLA

Redação

Quilombo nos Parlamentos já tem 67 pré-candidatos para o legislativo

Redação

Amazonas foi estado que mais gerou emprego no turismo na região Norte no último ano, aponta CNC

Redação

Deixe um comentário