Mundo Política

União Europeia chega a acordo para banir petróleo russo

Mundo – 26 dias. Esse foi o tempo que a União Europeia (UE) levou para obter um acordo que proíbe o petróleo russo no bloco — medida considerada pelos europeus como uma pressão máxima contra Vladimir Putin para o fim da guerra na Ucrânia.

No dia 4 de maio, a Comissão Europeia, braço executivo da UE, apresentou uma nova rodada de sanções contra a Rússia. Entre as medidas estava o plano para eliminar as importações de petróleo russo pelos membros do bloco.

Mas diferente dos EUA, que anunciaram a proibição imediata, os 26 dias para o acordo têm uma explicação: a União Europeia é altamente dependente do petróleo e do gás natural fornecidos pela Rússia.

Segundo dados de 2020, a Rússia respondia por 25% de todo o petróleo importado pelos países que integram a UE.

Desde a invasão da Ucrânia pela Rússia, Bruxelas tem imposto sanções a Moscou, mas vinha evitando medidas que envolvessem commodities energéticas.

Em março, a Comissão Europeia anunciou um acordo com os Estados Unidos destinado a reduzir a dependência do gás natural russo.

Pressão máxima contra Putin?

O porta-voz do acordo da UE foi o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel. Ele explicou que a proibição cobre imediatamente mais de dois terços das importações de petróleo da Rússia.

Segundo ele, a medida deve cortar uma fonte imensa de financiamento para a máquina de guerra de Vladimir Putin.

Publicações relacionadas

Dermilson Chagas afirma que arrecadação cresceu 29% em relação a 2021, mas o crescimento não se reflete em empregos, obras, segurança, educação e saúde

Redação

“Estar perto das pessoas é uma das minhas maiores paixões”, agradecer Arthur ao visitar Humaitá

Redação

Presidente Jair Bolsonaro se emociona em Manaus

Redação

Deixe um comentário