Amazonas Destaques Manaus

Tentativa de impugnação de Keitton é improcedente e tentativa de ganhar no golpe falha em Coari

Coari (AM) – Diante da esmagadora adesão à campanha de Keitton Pinheiro (Progressistas) demonstrada no primeiro comício, a Coligação do candidato Robson Tiradentes (PSC) decidiu partir para o desespero pedindo a impugnação de sua candidatura usando uma interpretação jurídica errada. Conforme juristas consultados pela reportagem o pedido parece ação de estagiário, já que ignora claramente a jurisprudência.
Conforme o pedido, Keitton deveria ter sua candidatura impugnada já que o candidato que deu causa à anulação do pleito não poderá participar das novas eleições. No entanto os opositores ignoram propositalmente que o registro indeferido que gerou a nova eleição foi apenas a do ex-prefeito Adail Filho e não a de Keitton.
Além disto o Tribunal Superior Eleitoral já deixou claro que essas causas são personalíssimas e não atinge o companheiro de chapa, estando Keitton devidamente apto para disputar o pleito.

“Nunca perdemos no voto”

Ao que tudo indica as chances de Keitton vencer em Coari são evidentes. O grupo a que pertence nunca perdeu no voto como constantemente afirmam em seus pronunciamentos. As únicas oportunidades em que os opositores assumiram a Prefeitura foi por meio de medidas judiciais, nunca no voto.
Para especialistas de marketing a tentativa de impugnar Keitton momentos depois de seu mega comício é apenas uma estratégia para desviar a atenção. Mesmo sabendo que o pedido é vazio, fazem uso do artifício para tentar alguma vantagem. Keitton conseguiu reunir mais de 21 mil pessoas em seu primeiro Comício. Ao lado de Adail Filho ele foi eleito em 2020 com 22.220 votos, enquanto o segundo colocado teve pouco mais de 8 mil.

Publicações relacionadas

Mais de 50 mil pessoas já foram vacinadas em Manaus

Redação

Casamentos entre pessoas do mesmo sexo tem aumento de 40% em um ano no Amazonas, aponta IBGE

Redação

Mandado de busca e apreensão na casa do chefe da casa militar coronel Fabiano Machado Bó, braço direito de Wilson Lima

marceadmin