Brasil Destaques

Seis milhões de mulheres chefes de família receberão Auxílio Emergencial

A Caixa Econômica Federal começa a pagar nesta quinta-feira (16) a primeira parcela do Auxílio Emergencial para os beneficiários do Bolsa Família. Seis milhões de famílias monoparentais e chefiadas por mulheres cadastradas no Bolsa Família vão receber automaticamente o auxílio emergencial. Serão 1,1 milhão com direito a receber R$ 1.800, e 4,9 milhões que receberão R$ 1.200. O pagamento obedece ao cronograma habitual do programa.

A diarista Valdenice da Silva dos Santos, 46 anos, mora com um dos três filhos em Engenho das Lages, região próxima ao Gama, no Distrito Federal. Com grande parte dos clientes formada por idosos, ela perdeu quase 100% da renda em função das restrições de mobilidade social causadas pela Covid-19.

Nesta quinta-feira (16), Valdenice começa a ter um alento. Integrante do Bolsa Família, ela faz parte do grupo de mulheres monoparentais chefes de família. Com isso, vai receber três parcelas de R$ 1.200 como parte do auxílio emergencial do Governo Federal no combate ao coronavírus. Antes, ela recebia R$ 48 pelo programa de transferência de renda.

“Com essa pandemia, tive que parar de trabalhar. Muitos clientes me dispensaram, a maioria era de idosos. Esse auxílio certamente vai ajudar demais. Eu pago aluguel e todas as contas estão atrasadas. Vou poder acertar água, luz e outras coisas”, comentou.

Em abril, o Bolsa Família atinge um dos maiores patamares da história do programa. Serão 14,27 milhões de famílias contempladas, em 4.734 municípios. Um acréscimo de 1,22 milhão de famílias em situação de pobreza foi possível a partir de um aporte de R$ 3 bilhões feito pelo Governo Federal como uma das medidas para enfrentar a pandemia do novo coronavírus.

A estimativa é de que as três parcelas do auxílio emergencial previstas em lei cheguem a um total de quase 70 milhões de brasileiros. O benefício, com valores que vão de R$ 600 a R$ 1.800, foi aprovado pelo Congresso Nacional e sancionado pelo presidente Jair Bolsonaro como resposta aos efeitos econômicos causados pela pandemia da Covid-19. O orçamento total, destinado via Medida Provisória, para esses pagamentos é de R$ 98 bilhões.

Segundo projeções do Ministério da Cidadania, 51 milhões de pessoas inscritas no Cadastro Único do Governo Federal são elegíveis ao benefício. Isso significa 70% das pessoas que estão nas bases de dados federais e 95% dos integrantes do Bolsa Família. Ao todo, o Cadastro Único reúne cerca de 73,4 milhões de pessoas.

Publicações relacionadas

A promessa de se construir e aparelhar um hospital com 150 leitos em apenas seis meses só deixa claro para todos o tamanho da inexperiência e do desconhecimento em gestão pública do candidato Ricardo Nicolau. Manaus precisa continuar se desenvolvendo e não retroceder ao tempo em que falácias e promessas fantasiosas davam o tom da política em nossa cidade.

Redação

Membros da CPI da Saúde confrontam falas de Carla Pollake com provas

Redação

POLICIA FEDERAL FAZ OPERAÇÃO NA CASA DO GOVERNADOR

Redação

Deixe uma resposta