Amazonas Destaques Manaus

Seap firma acordo com TJAM, MPE e DPE para implantação da Central Integrada de Alternativas Penais

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) firmou um Acordo de Cooperação Técnica com o Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), o Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE-AM) e a Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM), para o desenvolvimento de ações conjuntas no intuito de concretizar a implantação e o acompanhamento da Central Integrada de Alternativas Penais (Ciapa), vinculada à Seap.

A Ciapa, criada no âmbito do Estado do Amazonas no ano de 2015, passará a ser reconhecida em esfera federal. O ACT, que é uma meta do convênio firmado em 2014 entre a Seap e o Departamento Nacional Penitenciário (Depen), tem como objetivo a implantação da Central e define, entre outros pontos, a disponibilização de uma sala no prédio do TJAM para que a Ciapa realize o acolhimento do público procedente da audiência de custódia.

“A maioria do público flagranteado é de baixa renda, não permitindo a contratação de um advogado para defesa e orientação. Embora exista a Defensoria Pública presente nas audiências, a grande maioria se encontra em vulnerabilidade social ou em situação de rua. A Ciapa, presente nas dependências do Fórum Criminal, exerce um serviço essencialmente acolhedor a esse público, que na grande maioria sai das audiências de custódia sem sequer entender qual foi a decisão proferida por aquele sistema de justiça”, explicou a coordenadora da Ciapa, Diataí Anute Carioca.

O Acordo visa ainda a criação de um Comitê Gestor com representantes dos órgãos participantes, que serão responsáveis pelo monitoramento e definição de políticas públicas estaduais de Alternativas Penais, fortalecendo o desenvolvimento de um modelo de gestão em alternativas penais com foco na intervenção penal mínima, no desencarceramento e na restauração dos danos e locais sociais.

O Poder Executivo, por meio da Seap, vem cumprindo o seu papel de acompanhamento das medidas cautelares, disciplinadas pela Lei nº 12.403, de maio de 2011, que alterou dispositivos do Código de Processo Penal. A Seap está trabalhando para a contratação de equipe multidisciplinar visando a melhoria nos atendimentos aos cumpridores de alternativas penais.

Reconhecimento – As Centrais de Apoio e Acompanhamento às penas e medidas alternativas foram reconhecidas como importantes mecanismos metodológicos para o acompanhamento dessas Alternativas Penais, assim como a inclusão social do público atendido. O serviço da central é essencialmente acolhedor e não de juízo de valor. Portanto, promover alternativas penais reduz o número de encarceramento em massa e prisões provisórias.

Esses serviços protagonizados pela Ciapa estão regulamentados por meio da Resolução 213 de 2015 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Publicações relacionadas

Casos de coronavírus sobe para 32 no Amazonas

Redação

PIM atinge melhor resultado do ano com 98 mil bicicletas produzidas

Redação

APA Móveis Uma empresa consciente

Redação

Deixe uma resposta