Polícial Brasil Destaques

Ramagem e Ricardo Saadi depõem sobre suposta interferência de Bolsonaro na PF

Devem depor nesta segunda-feira (11) à Polícia Federal, em Brasília, o diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Alexandre Ramagem, e o ex-superintendente da Polícia Federal no Rio de Janeiro Ricardo Saadi. Eles serão ouvidos no inquérito que apura suposta tentativa de interferência de Bolsonaro na corporação.

O ex-diretor-geral da PF Maurício Valeixo também presta depoimento hoje, mas na superintendência da corporação em Curitiba. A audiência está marcada às 10h.

O inquérito foi aberto pela Procuradoria-Geral da República (PGR), com autorização do Supremo Tribunal Federal (STF), no fim de abril, depois que o ex-ministro da Justiça Sergio Moro pediu demissão do cargo e levantou suspeitas sobre as mudanças que Jair Bolsonaro queria fazer na cúpula da PF.

Ramagem e Saadi, ambos delegados da Polícia Federal, foram citados por Moro em um depoimento de oito horas prestado no último dia 2, em Curitiba. O mesmo aconteceu com o ex-diretor-geral da PF Maurício Valeixo, que será ouvido na manhã desta segunda, também na capital paranaense.

Ao todo, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Celso de Mello autorizou a tomada de 10 depoimentos no inquérito – todos, marcados para esta semana e relacionados às afirmações de Moro.

Publicações relacionadas

Polícia Militar realiza escolta de cilindros de oxigênio

Redação

Alfredo fala de sua luta pelas pessoas com deficiência

Redação

Em 15 dias, 59 pessoas são assassinadas em Manaus

Redação