Polícial Brasil Destaques

Ramagem e Ricardo Saadi depõem sobre suposta interferência de Bolsonaro na PF

Devem depor nesta segunda-feira (11) à Polícia Federal, em Brasília, o diretor-geral da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Alexandre Ramagem, e o ex-superintendente da Polícia Federal no Rio de Janeiro Ricardo Saadi. Eles serão ouvidos no inquérito que apura suposta tentativa de interferência de Bolsonaro na corporação.

O ex-diretor-geral da PF Maurício Valeixo também presta depoimento hoje, mas na superintendência da corporação em Curitiba. A audiência está marcada às 10h.

O inquérito foi aberto pela Procuradoria-Geral da República (PGR), com autorização do Supremo Tribunal Federal (STF), no fim de abril, depois que o ex-ministro da Justiça Sergio Moro pediu demissão do cargo e levantou suspeitas sobre as mudanças que Jair Bolsonaro queria fazer na cúpula da PF.

Ramagem e Saadi, ambos delegados da Polícia Federal, foram citados por Moro em um depoimento de oito horas prestado no último dia 2, em Curitiba. O mesmo aconteceu com o ex-diretor-geral da PF Maurício Valeixo, que será ouvido na manhã desta segunda, também na capital paranaense.

Ao todo, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Celso de Mello autorizou a tomada de 10 depoimentos no inquérito – todos, marcados para esta semana e relacionados às afirmações de Moro.

Publicações relacionadas

Detran-AM distribui máscaras no encerramento do Maio Amarelo

Redação

Líder de facção carioca em Manaus morre após troca de tiros com a polícia

Redação

Hackers expõem dados de 4 mil militares do RJ na web

Redação

Deixe uma resposta