Amazonas Destaques Manaus

Por unanimidade, Anvisa nega pedido de importação e uso da vacina Sputnik

Por unanimidade, os cinco diretores da Anvisa rejeitaram nesta segunda-feira (26) a importação e o uso da vacina russa Sputnik V pelo Brasil. Primeiro a votar e seguido pelos colegas, o relator Alex Machado Campos apontou a “falta de documentação” e os possíveis riscos do imunizante à saúde.

Antônio Barra Torres, presidente da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), afirmou que a atribuição da agência é “proteger e promover a saúde da população” e que a agência “não pode agir ao arrepio de sua missão”.https://googleads.g.doubleclick.net/pagead/ads?client=ca-pub-9508374237408663&output=html&h=280&adk=618262212&adf=1982249376&pi=t.aa~a.3007445754~i.5~rp.4&w=696&fwrn=4&fwrnh=100&lmt=1619519670&num_ads=1&rafmt=1&armr=3&sem=mc&pwprc=3432251426&tp=site_kit&psa=1&ad_type=text_image&format=696×280&url=https%3A%2F%2Fchumbogrossomanaus.com.br%2Fnoticias%2Fmundo%2Fpor-unanimidade-anvisa-nega-pedido-de-importacao-e-uso-da-vacina-sputnik%2F&flash=0&fwr=0&pra=3&rh=174&rw=696&rpe=1&resp_fmts=3&wgl=1&fa=27&adsid=ChEI8OyehAYQlbmmiu7917KaARJMABWOKgnX9CSqpwybkn5jVAo086Fn5KDiwzNOP3gvG2PN3GJXi_qrYfTzSYhbvGb6wfk55CSIrjTdoEKvg2F-xci-f2sWeD_DTi3olA&uach=WyJXaW5kb3dzIiwiMTAuMCIsIng4NiIsIiIsIjkwLjAuNDQzMC45MyIsW11d&dt=1619524199280&bpp=8&bdt=2666&idt=-M&shv=r20210422&cbv=r20190131&ptt=9&saldr=aa&abxe=1&cookie=ID%3Dc6a6cde27e1b5103-22e1b42cd2b300d5%3AT%3D1619522182%3ART%3D1619522182%3AS%3DALNI_MZ0bFUp5krVvNccshiv23qroac0Zw&prev_fmts=0x0&nras=2&correlator=5795205452322&frm=20&pv=1&ga_vid=233697482.1611921102&ga_sid=1619524199&ga_hid=252050044&ga_fc=0&u_tz=-240&u_his=1&u_java=0&u_h=768&u_w=1366&u_ah=728&u_aw=1366&u_cd=24&u_nplug=3&u_nmime=4&adx=141&ady=1177&biw=1349&bih=568&scr_x=0&scr_y=0&oid=3&pvsid=3577942378670469&pem=839&ref=https%3A%2F%2Fchumbogrossomanaus.com.br%2F&eae=0&fc=1408&brdim=0%2C0%2C0%2C0%2C1366%2C0%2C1366%2C728%2C1366%2C568&vis=1&rsz=%7C%7Cs%7C&abl=NS&fu=128&bc=31&jar=2021-04-27-11&ifi=2&uci=a!2&btvi=1&fsb=1&xpc=UiHBVxa6Zz&p=https%3A//chumbogrossomanaus.com.br&dtd=41

Ao defender a rejeição do pedido de importação do imunizante, Barra Torres disse que a Anvisa “nunca teve apego às questões burocráticas ou desrespeito para com a vida humana” e enfatizou, que, “sem a inspeção que avalia as boas práticas de fabricação dos insumos vacinais, é impossível atestar as reais condições de fabricação do produto”.

O colegiado se reuniu hoje de forma extraordinária para cumprir decisão do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Ricardo Lewandowski, que concedeu um prazo de 30 dias para que a agência reguladora decidisse sobre o uso do imunizante. A Anvisa chegou a recorrer do prazo, que venceria nesta semana, mas o ministro indeferiu o pedido nesta segunda.

O pedido de uso emergencial da Sputnik V foi protocolado pela União Química, responsável pela vacina no Brasil, no dia 25 de março.

Publicações relacionadas

Assembleia Legislativa bate record histórico de votação

Redação

Arthur diz que existe um preconceito estúpido contra a Zona Franca de Manaus e contra a Amazônia

Redação

Prefeito lamenta morte de Arlindo Júnior e decreta luto oficial

Redação