Amazonas Destaques Manaus Polícial

Policial civil é detido por desacato após confusão em casa de shows em Manaus, diz SSP

Caso foi registrado no 12º DIP, em Manaus — Foto: Rickardo Marques/G1

Caso foi registrado no 12º DIP, em Manaus — Foto: Rickardo Marques/G1

Um escrivão da Polícia Civil foi detido pelo crime de desacato depois de uma briga dentro de uma casa de shows no bairro Adrianópolis, Zona Centro-Sul de Manaus. Em imagens postadas em redes sociais, Jaime Lopes dos Santos Filho aparece discutindo com policiais militares e demais servidores dentro da delegacia onde o caso foi registrado. As informações foram divulgadas neste domingo (22).

Em nota, a Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM) informou que uma equipe da 16ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) foi acionada para uma ocorrência de agressão na madrugada de sábado (21) em uma casa de shows situada na Rua Tirza Carvalho. A SSP diz que, ao ser indagado, Jaime Lopes – que apresentava sinais de embriaguez – desacatou os militares e, por isso, foi detido.

Ele foi conduzido ao 12º Distrito Integrado de Polícia (DIP). Com o celular, algumas pessoas filmaram a chegada de Jaime Lopes, que discute com uma das servidoras e xinga os policiais militares que atenderam a ocorrência. Em seguida, ele é contido e levado para uma outra área da delegacia.

Em conversa com o G1 na tarde deste domingo (22), Lopes afirmou que se “exaltou” depois de ser agredido.

“Houve o momento que uma pessoa se afastou, me empurrou e eu acionei a segurança. E que, inclusive, presenciou, mostrando que eu estava sendo empurrado, estava sendo agredido. Eu nem revidei (…) Os seguranças tentaram me retirar do local e eu perguntei o porquê, haja vista que eu estava em uma condição de tranquilidade. Eu havia bebido, sim. Eu me exaltei, independente da questão de eu ter bebido, porque começaram a me agredir. Me algemaram a ponto de cortar meus braços”, relatou.

Jaime Lopes, que é presidente do Sindicato dos Funcionários da Polícia Civil do Amazonas (Sinpol-AM), assinou um Termo Circunstanciado de Ocorrência (TCO) por desacato e, posteriormente, foi liberado. A Corregedoria-Geral do Sistema de Segurança Pública do Amazonas irá abrir um procedimento para apurar a conduta do servidor.

Por meio de nota, a Polícia Militar classificou o caso como “isolado” e que “não compromete o bom relacionamento entre as instituições”.

Publicações relacionadas

Operação da PF atinge Governo Wilson Lima

Redação

Senado aprova fortalecimento do Pronampe e financiamento de salários, com emenda de Eduardo Braga

Redação

Revitalização na ponte do Educandos é retomada

Redação

Deixe uma resposta