Amazonas Destaques Manaus

Plataforma da Prefeitura de Manaus de cadastramento para vacinação já tem mais de 175 mil registros

Mais de 175 mil pessoas já fizeram cadastro no Imuniza Manaus (https://imuniza.manaus.am.gov.br/) desde que o prefeito David Almeida anunciou a abertura do sistema eletrônico para registro de pessoas de 18 a 59 anos, na última quinta-feira, 23/3. O cadastramento vem sendo utilizado pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) para a organização do acesso dos grupos prioritários à vacinação contra a Covid-19 em Manaus.

A plataforma, desenvolvida pela própria Semsa, já foi utilizada para o atendimento dos idosos de 60 a 69 anos e, na etapa atual, que segue a sequência de prioridades do Plano Nacional, serve de base para o agendamento das pessoas com comorbidades, que começaram a ser vacinadas pelo município no início desta semana.

De acordo com o diretor em exercício do Departamento de Tecnologia da Informação da Semsa, Saymon Souza, o número de registros no Imuniza nos últimos dias inclui as pessoas com e sem comorbidades. Do total de cadastrados, 37 mil informaram ter uma ou mais doenças preexistentes, dentre as 22 opções apresentadas pelo sistema, que segue o padrão estabelecido pelo Ministério da Saúde para a campanha nacional de imunização.

As que que se encontram na faixa etária de 55 a 59 anos e que têm diabetes mellitus, obesidade mórbida ou alguma cardiopatia já foram agendadas para receber a primeira dose do imunizante, de acordo com o calendário fixado pela Semsa. As três condições de saúde são prioritárias no ordenamento da vacinação porque, em relação às demais, são as que apresentam os maiores índices de internação e morte quando o paciente é infectado pelo novo coronavírus.

Gestão

Saymon destacou que o Imuniza Manaus foi criado para possibilitar a gestão e monitoramento da vacinação contra o Sars-Cov-2, e que com a ferramenta está sendo possível estruturar uma base de dados atualizados da população manauara, fundamental para orientar as ações da Semsa.

O diretor enfatizou que os dados registrados permitirão o planejamento e a organização das etapas subsequentes da imunização “Essas informações irão apoiar o nosso planejamento porque mostram situações bem específicas, o que nos permite uma resposta mais rápida à população”.

Saymon acrescentou que o cadastramento permite o acesso a informações atualizadas, o que facilita o trabalho de organização não apenas da vacinação. “Futuramente, esse banco de dados pode apoiar o desenvolvimento de iniciativas voltadas à atenção primária, em programas específicos, por exemplo”.

O modelo da ferramenta utilizada em Manaus já foi reconhecido pela Organização Panamericana de Saúde (OPAS) e apresentado em um evento em Campo Grande (MS), que contou com a participação de outros Estados. Saymon Souza explicou que o município de São Paulo também manifestou interesse na ferramenta.

“O Imuniza Manaus permite a gestão de todo o processo desde o cadastramento das pessoas até a disponibilização de informações de sistemas gerenciais da vacinação, que apoiam tanto a gestão da Semsa, quanto a sociedade em geral e os órgãos de controle. Todo o processo está abarcado nesse conjunto”, assinalou.

— — —

Texto – Tânia Brandão / Semsa

Fotos – Marcely Gomes/ Semcom

Publicações relacionadas

Cinco cidades do AM registram surto de casos de dengue este ano

Redação

Para ex-sócio, Sérgio Chalub desviou R$ 2,5 milhões

Redação

265 aldeias indígenas vão receber vacinas contra Covid-19 no AM

Redação

Deixe uma resposta