Amazonas Destaques Manaus

Pais de bebê denunciam morte por negligência em maternidade no AM

Manaus – Um bebê do sexo feminino nasceu morto na Maternidade Ana Braga, zona leste de Manaus, após a mãe dar entrada na unidade hospitalar no sábado (12) e o parto ter sido feito no início da noite deste domingo (13). A família acusa o hospital da rede pública estadual por negligência. O hospital diz que a causa da morte foi por Covid-19.

De acordo com o pai da bebê, Emerson Almeida, ele e a mulher chegaram à maternidade às 23h do último sábado. Ele conta que, depois de dar entrada, a mulher foi “esquecida” pelos funcionários da unidade hospitalar, que deram atenção à outras pacientes.

“Eles foram adiando a cirurgia dela. Poderiam ter feito de madrugada e não fizeram. Deixaram para fazer de manhã (domingo), mas foram chegando urgências e esqueceram minha esposa, deixando ela ao léu. Ela estava tomando soro, quando vieram e deram algum medicamento diferente e a barriga dela inchou. Foi aí que ela (bebê) foi a óbito”, disse o pai transtornado.

Família diz que maternidade da rede pública estadual foi negligente (Foto: Divulgação)

A amiga de Sabrina, Aida Oliveira Gomes, também acompanhou o descaso vivido por Emerson na Maternidade Ana Braga. Ela disse que Sabrina já estava em trabalho de parto quando deu entrada na maternidade pública estadual, e no prontuário informava que ela procedia para parto cesariano.

“Eles ficaram esperando até 17h58. Quando foram escutar os batimentos cardíacos da bebê, ela já não tinha, sendo que, até então, o médico ainda não tinha ido avaliar ela. A criança estava viva até às 16h, está no prontuário. Foram mais de 16h de trabalho de parto. Pura negligência”, disse.

Revolta
Aida também disse que teve que fazer escândalo no corredor da maternidade da rede estadual, para que o médico examinasse a amiga e depois pegar o laudo da criança, onde consta Covid-19 como causa da morte.

Maternidade alega que bebê morreu de Covid-19 (Foto: Divulgação)

“Já eram 20h e o médico ainda não tinha examinado ela. Fui atrás de assistente social e descobri que não trabalham no final de semana no hospital, nem ouvidoria, nem nada. Para completar, ao pegar o laudo da bebê veio escrito ‘Covid’. Gente, pelo amor de Deus, uma criança que nem nasceu morta por Covid? É um absurdo!”, completou às lagrimas.

Publicações relacionadas

Vixi: Mal-estar entre Bolsonaro e Mandetta foi um contrato bilionário de publicidade autorizado pelo ministro, que banca Band e Globo, denuncia jornalista

Redação

Cadeirante é morto na frente de casa na Compensa em Manaus, e adolescente fica ferido durante tiroteio

Redação

Força-Tarefa do Governo mantém assistência às famílias que permanecem no Monte Horebe

Redação

Deixe uma resposta