Amazonas Destaques Manaus

O BRASIL DA AMAZÔNIA

Temos vivenciado, há décadas, as discussões internacionais a respeito da sustentabilidade do planeta, e nesse contexto a Amazônia brasileira é um tema recorrente.

A Comunidade Internacional vem pautando nas agendas, que as queimadas na Amazônia, a redução da floresta e a presença de atividades produtivas predatórias são fatores que vem contribuindo para a redução da biodiversidade e dos recursos naturais não renováveis, propiciando o acelerado aquecimento global.

No entanto, é importante destacar que as atividades do agronegócio e da agropecuária, em larga escala, não estão presentes na região amazônica, portanto esse não é o motivo da preocupação.
O Brasil tem sido estrategicamente proativo no agrobusiness em outras regiões do país, mas extremamente ausente nas políticas públicas sustentáveis para a Amazônia.

De acordo com estudos e pesquisas diversas, o que tem contribuído para os elevados impactos negativos na região amazônica brasileira é a presença dos garimpos ilegais, inclusive em terras indígenas. Em julho do ano passado, a BBC News Brasil apresentou imagens de satélite que identificaram esses garimpos nos estados do Pará e Roraima.

Ainda nessa esteira, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais – INPE apontou o elevado índice de desmatamento e incêndios na região, o qual projeta a imagem negativa do país diante dos potenciais investidores e dos críticos mundiais.

Se o governo central entende que a Amazônia ainda é inexplorada e que precisa contribuir com o Desenvolvimento e Crescimento Economico do país, porque não adota Programas Estratégicos que sejam economicamente viáveis, socialmente justos e mantenedores da floresta e seus recursos conservados? Isso traria a comunidade internacional para a parceria e permitiria que os investidores olhassem para a região como a oportunidade de ganhar dinheiro mantendo viva a galinha dos ovos de ouro.

Chegou a hora do diálogo entre os cidadãos da Amazônia, os tomadores de decisões nesse país e os interessados em manter a região conservada, a fim de que ocorra efetivamente o desenvolvimento tão almejado nessa região que é maior em dimensões territoriais que o Brasil, e que oferece uma riqueza incomensurável em recursos naturais e minerais, os quais podem ser explorados com base em estudos e planejamento estratégicos.

Sem mais delongas, ou o Brasil reconhece que só é Gigante pela Própria Natureza porque ainda tem a Amazônia e que precisa adotar medidas protetivas (projetos que integrem as suas potencialidades), ou vai ter que se entregar as pressões externas e se curvar aos interesses outros.

Deus salve o Brasil da Amazônia!

Oreni Braga
Mestre em Gestão e Auditoria Ambiental
Especialista em Ecoturismo, Gestão e Planejamento de Parques e Design de Ecolodges

COMPARTILHE

Publicações relacionadas

MPF denuncia 17 suspeitos por fraudes na área da saúde no Rio

admin

Futuro Centro de Arqueologia, prédio da antiga Câmara chega a 85% de obras concluídas

admin

Susam ultrapassa em 16% meta de fornecimento de medicamentos especializados a usuários do SUS

admin

Deixe um comentário