Brasil Manaus

Nove pessoas que viajaram de Manaus podem ter levado variante da covid-19 ao Paraná

Nove moradores de Manaus que viajaram para Curitiba nos últimos 15 dias são suspeitos de serem portadores da variante do novo coronavírus. Um dos infectados – uma mulher que estava entubada em hospital particular – morreu no fim de semana em decorrência da covid-19. Ainda não se sabe se ela tinha a variante do vírus. De acordo com a Secretaria da Saúde do Paraná, os sintomas e as circunstâncias indicam a possibilidade de se tratar da variante já detectada na capital do Amazonas, mas a confirmação ainda depende de exames.

As amostras colhidas de todos os pacientes foram enviadas à Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) no Rio de Janeiro para o sequenciamento genético que pode identificar a mutação do vírus. Os resultados não tinham saído até a manhã desta terça-feira, 26. Além da paciente que já faleceu, dois continuam internados. Os outros estão em isolamento social e sendo monitorados, mas os dois primeiros que apresentaram sintomas já cumpriram o período de quarentena.

Conforme a Secretaria Municipal da Saúde de Curitiba, todos os pacientes chegaram à capital paranaense em voos comerciais. Como não há voos diretos de Manaus para Curitiba, os passageiros doentes fizeram conexões e passaram por outros aeroportos. Após a chegada, os viajantes procuraram a rede de saúde em busca de atendimento e, devido à procedência, passaram a ser monitorados. Pelo menos três pacientes de uma mesma família já chegaram com sintomas evidentes da covid-19.

Em dois casos, as pessoas viajaram de Manaus para Curitiba a trabalho. Outros três viajantes têm parentes na capital paranaense e, como já estavam doentes, acredita-se que se deslocaram em busca de atendimento médico, devido à situação de caos na saúde no Amazonas.

Nesta segunda-feira, 25, a pasta estadual divulgou uma nota orientativa com medidas para prevenção à disseminação de variantes do novo coronavírus. “Devido ao alto poder de transmissão da variante, ressalta-se a importância das medidas de controle e prevenção da disseminação do vírus já estabelecida, destacando a quarentena de pessoas procedentes de locais de risco”, diz a nota.

O texto lembra que a nova variante já identificada em Manaus possui duas mutações e que outras também foram identificadas na África do Sul e na cidade do Rio de Janeiro, ressaltando a importância da investigação clínica de pacientes suspeitos de covid-19 com histórico de viagem ao exterior ou ao território nacional nos últimos 14 dias. A procedência e o roteiro de viagem devem constar na ficha de investigação epidemiológica.

Conforme a nota, assim que o paciente é identificado como vindo de áreas onde a variante está circulando, deve ser encaminhado para coleta de amostras, que são feitas separadamente e enviadas ao laboratório da Fiocruz, no Rio de Janeiro.

De acordo com o secretário de Saúde do Paraná, Beto Preto, é importante que as empresas tenham protocolo para testagem e isolamento de todos os trabalhadores e visitantes que viajam a trabalho. “O Paraná está atento a esses casos, alertando e orientando os profissionais que atuam na área de saúde, principalmente em relação a informações sobre procedência do paciente que busca os serviços de saúde”, disse.

Fonte: Estadão

Publicações relacionadas

Covid-19: Governo fecha bares e balneários novamente

Redação

Falta de energia elétrica atinge bairros e até HPS João Lúcio

Redação

Líder de massacre de 56 presidiários desembarcam em Manaus

Redação

Deixe uma resposta