Amazonas Destaques Manaus

Nota do superintendente

Alfredo Menezes agradece a oportunidade de gerir a Suframa e o apoio dado pelo governo federal para o cumprimento da “missão de proteção à Amazônia brasileira”.

Quero me dirigir a sociedade amazonense informando que na data de hoje (03/06/2020) finalizo, a pedido, mais uma honrosa missão de proteção à Amazônia brasileira.Quando assumi a Superintendência da Zona Franca de Manaus, em 18/02/2019, passei a defender e proteger não só a Zona Franca de Manaus, mas todos os estados de atuação da Suframa, com a política de incentivos fiscais para atração de investimentos.Ao finalizar esta missão com o pedido de exoneração (abaixo) do cargo de Superintendente, deixo o cargo com o mais nobre agradecimento ao Presidente da República, que me confiou tamanha honraria profissional.Agradeço ao Ministro da Economia, Paulo Guedes, e ao Secretário Especial de Produtividade, Emprego e Competitividade, Carlos da Costa, pelas orientações seguras que recebi e aos empresários do setor industrial, comercial e agropecuário, com os quais juntos procuramos avançar com a implementação de ações institucionais concretas capazes de tornar nosso modelo da ZFM o melhor ambiente de negócios.No mais, quero ratificar meu profundo respeito a todos os colaboradores e servidores do governo federal que de forma direta e indireta, contribuíram decisivamente para o êxito desta gestão à frente da Suframa.Por fim, agradeço especialmente a minha família que sempre esteve ao meu lado e que tem sido o esteio para o enfrentamento de novos desafios que podem advir, para quem jamais deixou de cumprir a missão de contribuir para o desenvolvimento econômico do estado do Amazonas.

SELVA!”

Alfredo Menezes

Publicações relacionadas

Governo do Amazonas aguarda contratação de profissionais recrutados e enviados ao estado pelo Ministério da Saúde

Redação

Tribunal de Justiça do Amazonas inaugura 1ª fase do sistema de segurança institucional

Redação

Médico faz desabafo sobre situação da Covid-19 em hospitais de Manaus: ‘É devastador’

Redação

Deixe uma resposta