Amazonas Destaques Manaus

Ministério Público acusa Wilson Lima de conduta vedada na eleição de Coari

O Ministério Público Eleitoral ofereceu nesta quarta-feira (17) ação inibitória de conduta vedada contra o Governo do Amazonas e o próprio governador Wilson Lima. Wilson apoia Tiradentes em Coari e levou para o município grande parte da estrutura de seu governo.

O objetivo do MPE é impedir o abuso de poder no uso do Estado para interferir nas eleições que já tomaram ares dramáticos. Uma viatura da polícia já chegou a ser usada contra a passeata de Keitton Pinheiro, líder nas pesquisas de intenção de voto enquanto outras tem servido como segurança dos atos de Tiradentes. Distribuição de rancho, cadastro para o recebimento do Auxílio Estadual durante as passeatas de seu candidato também foram flagradas.

Estas ações, além de proibidas durante período eleitoral, também podem gerar a cassação do próprio governador por abuso de poder.

No documento, além de pedir que o governador se abstenha de distribuição de bens, valores ou benefícios, também pede que as ações do Programa Detran Cidadão aconteçam apenas após a eleição. Em caso de descumprimento por parte do governador o MPE pede multa no valor de R$ 50 mil reais.

Publicações relacionadas

Tensão: Força Nacional envia 30 agentes para região do rio Abacaxis

Redação

Instituto federal do Amazonas (IFAM) disponibiliza chips com pacote de dados a alunos.

Redação

Operação fiscaliza preços e ofertas na Black Friday

Redação