Amazonas Cotidiano Destaques

Medidas anunciadas por Wilson Lima para combater a crise econômica ainda não saíram do papel

Junto com um decreto de calamidade pública, que torna mais simples aos gestores públicos o processo de compras e contratação de serviços essenciais, eliminando a burocracia, e dando maior agilidade aos governos em momentos de crise, o governador do Amazonas anunciou um pacote de medidas para combater os efeitos da pandemia de coronavirus na economia do Estado.

Mas, pelo que está se vendo, a decretação da calamidade púbica por Wilson Lima, não parece estar sendo usada para agilizar coisa nenhuma, pelo menos no que se refere ao seu pacote econômico. Quando se houve de micro, pequenos e médios empresários perguntas sobre como agem para conseguir uma das linhas de crédito da Agência de Fomento do Estado do Amazonas (Afem) para as quais o governo de Wilson Lima alardeou pela imprensa local que teria destinado R$ 40 milhões, é porque o governo está devagar quase parando.

Uma fonte do Radar do setor de finanças do próprio governo do Estado que não identificaremos por motivos óbvios, avaliou a situação da seguinte forma: “lançaram o pacote, mas não criaram as regras”. Levando em consideração as palavras do servidor público estadual, Wilson Lima jogou pra plateia bem ao estilo apresentador de programa de auditório.

No dia do anúncio, no dia 23 deste mês, Wilson Lima disse que “o pacote de medidas era pra ajudar aquele cidadão mais vulnerável, mais carente. O nosso pacote inclui a disponibilidade de R$ 40 milhões para pequenas e micro empresas, através da Afeam, e também já determinei a estruturação de um programa de distribuição de renda para 50 mil famílias do interior do estado do Amazonas”.

Então, nem precisas ser um gênio da lógica, para chegar à conclusão que se o pacote é pra ajudar o cidadão mais vulnerável, como diz o governador então já teria que ter sido implementado, afinal quem tem carência tem pressa, né mesmo?

E nem dá pra dizer que existe obstáculos para se implantar o tal pacote do Governo por ter que fazer cadastros e inscrições. “Num dá pra entender porque Wilson Lima demora tanto em socorrer os mais carentes em socorrer a micro e pequena empresa. Qual é a dificuldade que ele tem pra fazer isso? As pessoas carentes têm bolsa família, têm cadastro na área social, as micro e pequenas empresas, a grande maioria tem alvará, a que não tiver se apresenta, a gente precisa ver o primeiro passo, a gente vê a inércia desse governo que não consegue colocar máscaras para os nossos profissionais de saúde assumirem as frentes de batalha. Triste e decepcionante é o que tenho a dizer” critica o deputado da bancada de oposição ao governo, Wilker Barreto.

Até agora o pacote econômico de Wilson Lima fez bonito em apenas um lugar, na propaganda do governo paga com recursos públicos.

Publicações relacionadas

Barroso suspende foro privilegiado para autoridades do Amazonas e mais três estados

Redação

Casal é detido por roubo a estabelecimento comercial na zona leste

Redação

Funcionários da FCecon são presos após desviar R$ 1 milhão em remédios e materiais hospitalares

Redação

Deixe uma resposta