Brasil Destaques

Médica de Joelma: ‘Inchaço é combinação da covid com uso de corticoides’

A cardiologista e intensivista Ludhmila Hajjar, responsável pelo tratamento da cantora Joelma, internada depois de contrair covid por quatro vezes, explicou como a artista chegou a ficar tão inchada. “Trata-se de um efeito da combinação da covid-19 com o uso de corticoides”, disse a médica em entrevista para O Globo. “O inchaço já está 40% melhor e no máximo em três semanas terá desaparecido.

A cantora de 47 anos está internada no Hospital São Luiz Itaim, em São Paulo, após passar por uma série de exames de check-up. Ela foi diagnosticada com esofagite — inflamação da mucosa do esôfago —, gastrite e um edema. A Splash, a assessoria informou ontem que Joelma recebeu o quarto diagnóstico positivo de covid em abril. A nota divulgada sobre a internação diz que a cantora está apresentando melhora significativa do quadro de edema, se recuperando bem e com previsão de alta já neste fim de semana. ‘Fiquei totalmente deformada’ Joelma já tinha sido diagnosticada com covid pelo menos três vezes desde 2020, a última de conhecimento público foi em janeiro, quando já estava com o com o esquema vacinal completo contra a covid (duas doses e reforço), o que a deixou apenas com sintomas leves e em isolamento em casa. Em outubro do ano passado, ela contou em entrevista para a Quem que chegou a ficar “deformada”. “Tive todos os sintomas e mais alguns. Foi muito pesado o que eu passei. O meu corpo inchou, eu fiquei maior que uma grávida de nove meses. Fiquei totalmente deformada. Caiu muito meu cabelo, foi uma coisa absurda. Até agora meu corpo não voltou ao normal, tive que mudar de tamanho de sutiã”, ressalta Joelma. A cantora relatou o momento como uma “experiência de quase morte”. Mesmo assim, a artista fala sobre a superação que teve após o coronavírus. “Até agora meu corpo não voltou ao normal, tive que mudar de tamanho de sutiã”, ressalta Joelma. A cantora relatou o momento como uma “experiência de quase morte”. Mesmo assim, a artista fala sobre a superação que teve após o coronavírus. “Foi renovador, mudou algo aqui dentro. Foi mais uma vitória, mais um obstáculo conquistado. Foi preciso eu passar por isso. Muda a forma de você ver a vida”, diz. “Por tudo o que passei, hoje tiro de letra qualquer coisa. Sou uma pessoa que procuro fortalecer muito a minha fé. Acho que quando você tem paz e alegria dentro de você, as coisas podem acontecer que você fica ali firme e forte”, finalizou. No “Altas Horas” (TV Globo), ela disse que a doença chegou a afetar também sua memória e visão. “Foi muito sério. Afetou até minha visão, minha mente. Sentia muita dificuldade de lembrar coisas simples. E agora estou tratando de sequelas”, contou.

Publicações relacionadas

Operação da Polícia Federal contra tráfico de drogas cumpre mandados de prisão em Manaus

Redação

PF apura uso de R$ 2,2 bi do SUS em 23 Estados

Redação

Amazonas entra no novo mercado de gás com proposta aprovada na assembleia

Redação

Deixe um comentário