Manaus Amazonas Destaques

Maternidade Unimed usa redes sociais para conscientizar sobre importância do aleitamento materno

Posto de coleta de leite humano da unidade é o primeiro da rede particular, no Amazonas. Inaugurado em 2015, oferece suporte às mães durante a internação e, também, após elas receberem alta

Apoiar a amamentação para um planeta mais saudável. Esse é o tema da campanha lançada pela Unimed Manaus, nas redes sociais, para estimular o aleitamento materno, em comemoração do Agosto Dourado, mês de incentivo à amamentação. “O leite materno é um alimento natural e renovável, ambientalmente seguro e ecológico, porque é produzido e entregue ao consumidor com o mínimo de poluição, embalagem ou desperdiço”, orienta a mensagem transmitida pela Unimed Manaus.
A médica Regina Sodré, responsável técnica pelo posto de coleta de leite humano da Maternidade Unimed informa que devido às restrições impostas pela pandemia da Covid-19, este ano a equipe do posto de coleta de leite humano não poderá realizar os encontros, cursos e palestras que tradicionalmente fazem durante o Agosto Dourado. “Lançamos mão da tecnologia para não deixar de levar nossa mensagem de incentivo ao aleitamento materno”, afirma Regina Sodré.
De janeiro a julho deste ano, apesar da pandemia, o posto de coleta encaminhou para o Banco de Leite Fezinha Anzoategui da rede pública de saúde, 42 mil mililitros de leite, doado pelas mães que deram à luz a seus bebês na Maternidade Unimed Manaus. Fora isso, em média mensalmente 50 nutrizes (mulheres em fase de amamentação) são atendidas recebendo apoio a amamentação e a doação de leite humano.
De acordo com a médica, o Posto de Coleta de Leite Humano da Maternidade Unimed Manaus, possui infraestrutura adequada e humanizada, atendendo as exigências da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para atender as pacientes durante a internação e, também, após elas receberem alta. “Contamos com uma equipe treinada de médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, psicólogos e fonoaudiólogos”, afirma Regina Sodré.
De acordo com a médica, todo leite coletado no posto da Maternidade Unimed e na coleta domiciliar é encaminhado ao Banco de Leite Humano Fezinha Anzoategui para pasteurização.
A médica destaca ainda que na Maternidade Unimed Manaus, toda mãe que tem o seu bebê prematuro recebe atendimento desde a internação hospitalar, preparando a mama para extração do leite que irá alimentar o seu bebê. “O leite materno colostro é rico em anticorpos e muito importante para melhorar a imunidade do bebê prematuro. Contamos com uma equipe treinada de médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, fonoterapeuta e psicólogo para oferecer suporte à mãe e a família. Nos preocupamos em envolver e empoderar a família a participar desse momento tão emblemático”, afirma Regina Sodré.
Segundo a médica, as mães que têm alguma dificuldade de amamentação ou mesmo não sabem qual o melhor posicionamento para amamentar o seu bebê., também recebem suporte da equipe técnica, assim como as mamães que necessitam fazer ordenha manual do seu leite.
A equipe do posto de coleta de leite da Maternidade Unimed Manaus também realiza visitas domiciliares para auxiliar as mamães doadoras na extração do leite, fornecendo os kits esterilizados para armazenamento do leite. “Mesmo nos casos em que não participamos da coleta, realizamos resgate do leite para encaminhar ao Banco de Leite Humano, com todo controle técnico necessário”, explica Regina Sodré.
Ato em família
Nas palestras em que realiza durante a campanha de aleitamento materno, em especial no mês de agosto, que é conhecido como Agosto Dourado, porque simboliza a luta pelo incentivo à amamentação – a cor dourada está relacionada ao padrão ouro de qualidade do leite materno – Regina Sodré faz questão de enfatizar que o aleitamento materno precisa envolver toda a família.
Ela lembra que a campanha mundial de aleitamento, de 2019, trouxe como tema: Apoio à família pelo aleitamento materno. “A amamentação, não depende apenas da mãe. Segundo o Ministério da Saúde, o pai tem sido cada vez mais identificado como importante suporte durante esse período. O pai tem papel essencial não apenas nos cuidados com o bebê, mas também com a mãe e com outros filhos. Por isso, é preciso incentivá-lo a participar dessa fase tão importante para a família”, defende a médica.
Salvando vidas
Regina Sodré destaca ainda a importância da doação de leite humano na recuperação nutricional dos bebês prematuros internados nas unidades de terapia intensiva neonatal. “Lembramos que um litro de leite materno doado pode alimentar até 10 recém-nascidos por dia. A depender do peso do prematuro, um (1) ml já é o suficiente para nutri-lo cada vez que for alimentado. Além disso, a produção de leite humano obedece à lei da demanda, ou seja, quanto mais leite é retirado (para doação ou sugado pelo seu bebê), mais leite é produzido”, orienta.

Publicações relacionadas

Com taxa de ocupação em UTIs em baixa, Manaus pode ampliar flexibilização

Redação

O “plano macabro” embaixador chinês marca reunião com os governadores que querem derrubar Bolsonaro

Redação

Arcebispo abençoa primeira UTI do Hospital de Campanha Municipal que entra em atividade nessa segunda-feira

Redação

Deixe uma resposta