Brasil Destaques

Justiça nega pedido de prisão domiciliar a Fabrício Queiroz

Brasília – Na madrugada deste sábado (20), a desembargadora Suimei Cavaleiri, da 3ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, negou o pedido de substituição de prisão preventiva por domiciliar, feito pelo advogado Paulo Catta Preta ao ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), Fabrício Queiroz.

Como o processo está sob segredo de Justiça, a íntegra da decisão não foi divulgada. Ainda sem data definida, o mérito do habeas corpus será julgado pelo colegiado da 3ª Câmara Criminal.

Fabrício Queiroz foi preso durante operação, nesta quinta-feira (18) (Foto: Reuters/Amanda Perobelli)

Prisão

Nesta quinta-feira (18), Queiroz, investigado em um suposto esquema de rachadinha na Assembleia Legislativa do Rio e por lavagem de dinheiro, foi preso em Atibaia, no interior de São Paulo. A casa onde ele estava pertence a Frederick Wassef, advogado da família Bolsonaro.

Segundo informações dadas pelo caseiro da propriedade à polícia, Queiroz estava no local havia mais de um ano. No mesmo dia, o ex-assessor foi transferido para o Rio de Janeiro, onde está preso no Complexo Penitenciário de Gericinó, conhecido como Bangu 8. Por causa da pandemia de Covid-19, Queiroz ficará isolado por 14 dias, em uma cela de 6m2, com chuveiro, sanitário e pia.

Publicações relacionadas

Estado mantém ‘atos ilícitos’, diz deputado

Redação

Tribunal de Contas do Estado alerta prefeitos sobre os procedimentos da transição de governo

Redação

PF está em condomínio da Ephigênio Salles em Manaus

Redação