Amazonas Destaques Manaus

Juiz condena desembargador Romano a 47 anos de prisão

Manaus – Após ser denunciado pelo Ministério Público do Amazonas (MP-AM) por estuprar a neta, o desembargador aposentado Rafael Romano, 72, foi condenado a 47 anos de prisão. O caso que tramita no Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) está em segredo de Justiça e a Corte não se manifesta sobre a sentença, que cabe recurso.

De acordo com a denúncia do MP-AM, o desembargador molestou a menina quando ela estava com 7 anos, em 2009, e prosseguiu até a garota se encontrar na puberdade.

A ação colheu os depoimentos e o inquérito na Delegacia Especializada em Proteção de Crianças e Adolescentes (Depca). A jovem disse que uma tia chegou a ver a situação, mas negou quando foi questionada sobre os abusos por “sentir vergonha”.

Por muitos anos o desembargador ocupou o Juizado da Infância e da Adolescência.

O desembargador aposentado Rafael Romano foi condenado a 47 anos de prisão por ter  estuprado a própria neta (Foto: TJAM/Mário Oliveira)

Publicações relacionadas

Policiais civis de Manacapuru e Seap realizam transferência de 24 presos de Justiça daquele município para Manaus

Redação

MPF e MP/AM expedem recomendação à Susam sobre interrupção legal da gravidez

Redação

Durante bloco do P10, ‘foliões’ bêbados sobem em ônibus e causam grande confusão

Redação

Deixe uma resposta