Amazonas Destaques Manaus

Juiz condena desembargador Romano a 47 anos de prisão

Manaus – Após ser denunciado pelo Ministério Público do Amazonas (MP-AM) por estuprar a neta, o desembargador aposentado Rafael Romano, 72, foi condenado a 47 anos de prisão. O caso que tramita no Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) está em segredo de Justiça e a Corte não se manifesta sobre a sentença, que cabe recurso.

De acordo com a denúncia do MP-AM, o desembargador molestou a menina quando ela estava com 7 anos, em 2009, e prosseguiu até a garota se encontrar na puberdade.

A ação colheu os depoimentos e o inquérito na Delegacia Especializada em Proteção de Crianças e Adolescentes (Depca). A jovem disse que uma tia chegou a ver a situação, mas negou quando foi questionada sobre os abusos por “sentir vergonha”.

Por muitos anos o desembargador ocupou o Juizado da Infância e da Adolescência.

O desembargador aposentado Rafael Romano foi condenado a 47 anos de prisão por ter  estuprado a própria neta (Foto: TJAM/Mário Oliveira)

Publicações relacionadas

Maioria na ALE ignora denúncias no Governo

Redação

Em um dia, fiscalização ambiental enfrenta três invasões em Manaus

Redação

Abastecimento de centrais normaliza distribuição de produtos do programa Leite do Meu Filho

Redação

Deixe uma resposta