Amazonas Destaques Manaus

Familiares de pacientes do Hospital 28 de Agosto denunciam instabilidade de energia elétrica na unidade, em Manaus

Geradores do hospital não atenderam necessidade durante falta de energia — Foto: Rickardo Marques/G1 AM

Geradores do hospital não atenderam necessidade durante falta de energia — Foto: Rickardo Marques/G1 AM

Familiares de pacientes que recebiam atendimento nesta quarta-feira (22) no Hospital e Pronto Socorro 28 de Agosto, em Manaus, denunciaram a instabilidade no fornecimento de energia elétrica na unidade. Segundo eles, o prédio ficou em total escuridão por aproximadamente 20 minutos.

Em nota, a Secretaria de Estado de Saúde (Susam), afirma que a queda de energia aconteceu por conta de uma ocorrência nas proximidades do hospital. Segundo a diretoria, nesse intervalo, não houve danos a pacientes, “uma vez que os nobreaks dos equipamentos mantiveram os mesmos funcionando”.

“Os geradores entraram de imediato, porém cerca de dez minutos, um deles saiu de sincronização, provocando uma segunda interrupção, controlada logo em seguida após reinicialização dos geradores pela equipe de manutenção”.

As oscilações começaram ainda por volta das 20h e se repetiram até, pelo menos, 22h25. Um funcionário do 28 de Agosto, que preferiu não se identificar, relatou ao G1 que os geradores instalados no hospital foram acionados, mas não supriram o fornecimento totalmente.

“Ficou entre dez e vinte minutos com tudo no escuro. O gerador ativou, mas caiu de novo [a energia] e por isso ficou. Depois oscilou várias vezes até normalizar. Nesse período, eu vi duas pessoas baleadas darem entrada aqui, mas sem luz nada funciona”, disse.

Diversas oscilações no fornecimento de energia ocorreram nesta quarta-feira (22) — Foto: Rickardo Marques/G1 AM
Diversas oscilações no fornecimento de energia ocorreram nesta quarta-feira (22) — Foto: Rickardo Marques/G1 AM

Diversas oscilações no fornecimento de energia ocorreram nesta quarta-feira (22) — Foto: Rickardo Marques/G1 AM

A contadora, Antônia Lúcia Pereira, acompanhava a mãe, de 78 anos, que passou por um exame de raio-x e precisava retornar ao consultório médico. Devido a falta de energia, a paciente esperou cerca de duas horas para receber o resultado do exame.

“O médico não conseguiu ver raio-x da minha mãe porque toda hora que ligava o computador, a energia ia embora (…) Um exame que saía em uma hora, uma hora e meia, saiu em duas horas e meia (…) Uma verdadeira calamidade pública esse hospital”, comentou.

O bombeiro hidráulico Eduardo Fonseca, de 21 anos, ficou do lado de fora do hospital esperando a esposa – que recebia atendimento na emergência.

“Ela me falou que o atendimento foi interrompido lá dentro, o que era de se esperar. Um hospital sem energia elétrica não tem condições de funcionar. E quem está internado aqui e precisa de alguma máquina no tratamento? A pessoa conta com a sorte para que tudo se resolva”, afirmou.

Publicações relacionadas

Bolsonaro diz que está fora das eleições municipais

Redação

Novo golpe usa c de auxílio emergencial para roubar dados pessoais

Redação

Governador Wilson Lima determina o fechamento de bares e restaurantes da capital

Redação

Deixe uma resposta