Cotidiano Brasil Destaques Mundo

Estudo indica que covid-19 mata mais homens que mulheres

Desde o início da pandemia do Coronavírus, epidemiologistas começaram a perceber que a Covid-19 causa maiores impactos na saúde dos homens que na das mulheres, desde os casos de infecção, passando pela gravidade dos sintomas, até o número de mortes.

No entanto, como médicos, hospitais e órgãos ligados à saúde não tinham atentado para coletar dados de infecção e taxa de mortalidade separados por sexo e relacionados à Covid-19, os cientistas não puderam determinar, exatamente, porque os homens são mais vulneráveis ao Coronavírus.

Para tentar resolver essa questão, a CNN realizou um estudo em parceria com o instituto de pesquisa Global Health 50/50, analisando os dados da pandemia coletados em diversos países.

Mapa com dados diários sobre o Coronavírus. (Fonte: Center for Systems Science and Engineering/Reprodução)

Mapa com dados diários sobre o Coronavírus. (Fonte: Center for Systems Science and Engineering/Reprodução)Fonte:  Center for Systems Science and Engineering 

Maioria de infectados e mortos são do sexo masculino

O estudo focou nos 10 países com o maior número de mortes e casos confirmados, porém, apenas seis deles tinham dados relevantes separados por sexo, incluindo a China, França, Alemanha, Iran, Itália e Coreia do Sul. Em todos eles, a maioria das vítimas fatais, e também das que contraíram a doença, é do sexo masculino, embora não tenha sido possível apresentar estatísticas sobre a proporção.

De qualquer forma, os dados apontam, sem sombra de dúvidas, que os homens são mais vulneráveis à Covid-19 que as mulheres, o que casa com as informações anteriores a respeito das epidemias de Sars e Mers.

As possíveis causas

Segundo a CNN, o estudo preliminar concluiu que, entre as possíveis causas para que os homens sejam mais afetados pelo Coronavírus, está a baixa imunidade. Os homens tendem a ter um estilo de vida menos saudável que as mulheres, o que inclui hábitos como beber e fumar.

Já as mulheres, além de manter a saúde em melhores condições, contam com a vantagem da gravidez, que lhes permite ter maior proteção contra infecções virais.

Além disso, sabe-se que algumas condições de saúde preexistentes são fundamentais para o agravamento dos sintomas da Covid-19, como mudanças hormonais, hipertensão, doenças crônicas pulmonares e doenças do coração: todas elas são mais comuns entre os homens, em todos os seis países estudados, assim como no resto do mundo.

FONTE:TECMUNDO

Publicações relacionadas

Lixeiras sustentáveis são distribuídas nas dependências do TCE

Redação

Governador Wilson Lima formaliza gestão compartilhada do Hospital Francisca Mendes

Redação

Sindicato confirma morte de médicos com sintomas de coronavírus em Manaus

Redação

Deixe uma resposta