Amazonas Destaques Manaus

Equipe do Samu passa quase quatro horas à procura de vaga em hospitais de Manaus para paciente com suspeita de Covid-19; ‘cada vez mais agravante’

Uma equipe do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) passou quase quatro horas à procura de vagas em leitos de hospitais de Manaus, na manhã deste domingo (26), para um paciente de 64 anos que apresentou sintomas de Covid-19. Sem estrutura suficiente, um funcionário desabafou: “tá ficando cada vez mais agravante a situação”. Na última quinta-feira (23), a Secretaria de Estado de Saúde informou que 96% dos leitos de UTI já estavam ocupados.

Em entrevista ao G1, na quinta-feira (23), ocoordenador geral do Samu, Dr. Ruy Abraim, já havia informado que oito pacientes passaram a madrugada em ambulâncias, “perambulando” em hospitais à procura de vagas em leitos.

“Hoje, podemos classificar a nossa situação, e acho que de todas: à beira do desespero. Muito complicado. Estamos com uma sobrecarga muito grande, mas, o maior problema é pegarmos os pacientes, atender e aí não ter vagas em unidades para receber essas pessoas. Está tudo lotado”, disse.

De acordo com o último boletim epidemiológico, divulgado neste sábado (25) pela Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), o Amazonas registrou mais 441 casos novos de Covid-19. Com isso, o número de pessoas infectadas pela doença ultrapassa 3,6 mil. Também foram confirmados mais 32 mortes pela doença, elevando o total para 287.

Neste domingo (26), a equipe do Samu foi acionada para buscar o paciente em casa, no bairro Novo Israel, Zona Norte de Manaus. Familiares disseram para os profissionais que o idoso estava com sintomas de Covid-19 e possui diabetes.

A movimentação para tentar levar o idoso para uma unidade de saúde teve início por volta das 8h50 deste domingo (26). Somente por volta das 11h30, após passar por duas unidades hospitalares, o idoso foi atendido, mas, antes de chegarem na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Campos Salles, ele teve que aguardar do lado de fora, até que chegasse uma ordem para autorização de entrada do paciente.

“Foi feito um acordo, mas não estão querendo receber o paciente aqui [UPA Campos Sales]. É o terceiro local que a equipe do Samu passa. Passamos pelo Delphina Aziz e Platão Araújo, mas não quiseram receber o paciente por falta de leitos”, contou um funcionário do Samu.

A Susam informou ao G1, por meio de nota, que a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Campos Sales aceitou a internação do paciente após constatar a disponibilidade de vaga, sem comentar a demora no atendimento.

A reportagem acompanhou o momento de espera do idoso dentro da ambulância, que aguardava abertura de vaga em leitos na UPA. O homem respirava com dificuldades e estava entubado.

“Após ter as portas fechadas, o estado de saúde do paciente se agravou, tivemos que parar na base leste [do SAMU] para entubar o paciente. Depois, disseram que tinha uma vaga para ele aqui na UPA, chegando aqui, não estava existindo essa vaga e tivemos que esperar. Ele precisa de um respirador mecânico e não tem disponível”, contou o funcionário.

Publicações relacionadas

Sindicato dos Jornalistas do AM e ANJ manifestam apoio a jornalista agredido

Redação

Professora da Semed desenvolve guia sobre trabalho infantil e se destaca

Redação

Delphina tem serviços pagos e só 70% feitos

Redação

Deixe uma resposta