Amazonas Destaques Manaus

Empresas do polo industrial de Manaus fazem transição para novo modelo

Empresas do polo industrial da Zona Franca de Manaus (ZFM) passam por nova metodologia de adequação a conceitos da indústria 4.0.

O princípio básico é a interoperabilidade, capacidade de compartilhar, integrar e compatibilizar informações, sistemas e ativos no âmbito da planta industrial.

O projeto Advanced Manufacturing assessment (AMa) é desenvolvido pelo Instituto de Desenvolvimento Tecnológico (INDT). Sobretudo, visa apoiar integralmente as indústrias nessa transição para promover maior agilidade, flexibilidade, integração e rentabilidade nos seus negócios.

Metodologia e o projeto

A metodologia (PIMM 4.0) foi desenvolvida por Sandro Breval Santiago. Ele é professor e doutor em engenharia da produção da Universidade Federal do Amazonas (Ufam).

De acordo com Breval, “a ideia surgiu a partir de uma pesquisa realizada pela federação e centro das Indústrias do Amazonas (Fieam e Cieam) e a Ufam”.

Segundo ele, “se detectou a existência de diversos modelos de aplicação dos conceitos da indústria 4.0 no ecossistema brasileiro, analisando-se o cenário do avanço industrial da região Norte em relação às novas tecnologias”.

Além disso, ainda de acordo com o engenheiro, a importância desse estudo é a informação da posição da ZFM à indústria 4.0. Bem como das empresas da região, pois elas poderão desenvolver seus planos de ação (roadmaps). Estes, portanto, para se adequarem à gestão da organização de acordo com o novo cenário da quarta revolução industrial.

O professor ressalta que a principal finalidade do projeto é a de colocar as empresas no rumo certo. Sobretudo quanto à inovação tecnológica e adequação à indústria 4.0.

Nível de maturidade 

A pesquisa de Fieam, Cieam e Ufam detectou que 92% dos colaboradores das empresas têm pouca ou nenhuma habilidade digital.

Além disso, apontou que 57% das empresas reconhecem a importância dos avanços da indústria 4.0. Porém, desconhecem estratégias e conceitos para melhor adequação.

Dessa forma, o polo industrial ficou com uma média 2,54 dentro da escala de 1 a 4. Ou seja, encontra-se exatamente no momento de transição em seu nível de maturidade.

Leia mais

Parcerias

O projeto AMa é uma extensão da parceria que foi estabelecida para a criação do FabLab da Indústria 4.0 em Manaus, inaugurado no final do ano passado.

Todas estas iniciativas têm o cunho de alavancar a transformação digital do polo industrial. E o caminho seria pela exposição às tecnologias indutoras da indústria 4.0, assim como do diagnóstico dos níveis de maturidade, a correta priorização de investimentos e o empoderamento de sua força de trabalho.

A Schneider Electric, um dos parceiros tecnológicos do projeto, contribui através da plataforma EcoStruxure.

O gerente sênior de sustentabilidade e relações institucionais da Schneider, João Carlos Souza, comentou:

“Com a nossa plataforma será possível responder rapidamente às necessidades de modernização dos sistemas de automação, controle e gerenciamento de energia”.

Souza explicou ainda que será criada “infraestrutura de IoT necessária para fomentar um novo salto de produtividade na região, com o estabelecimento de sistemas de manufatura enxutos, flexíveis e aptos a serem conectados a diferentes cadeias de valor e ou ecossistemas”.

Foto: Divulgação

Publicações relacionadas

Relator do impeachment, Dr. Gomes pede arquivamento de denúncias contra Wilson Lima

Redação

URGENTE MANAUS TEM QUEDA BRUSCA NO NÚMERO DE ATENDIMENTO DA COVID 19

Redação

Atraso de salários agrava crise nos hospitais públicos do Amazonas

Redação

Deixe uma resposta