Amazonas Destaques Manaus

Eleição para prefeito de Manaus agita bastidores políticos

A decisão do TSE de manter as datas do calendário eleitoral e de autorizar a realização das convenções partidárias a partir de 20 de julho de forma virtual agitou os bastidores políticos do Estado. Os pré-candidatos a prefeito de Manaus intensificaram as articulações e o uso das redes sociais. As próximas semanas serão de muitas exposições virtuais, reuniões e até mesmo de encontros entre adversários para a formação de alianças. O prazo é curto e as alianças e a definição da chapa com os candidatos a prefeito e vice devem estar definidas até o dia 5 de agosto, prazo final para as convenções partidárias.

Os pré-candidatos

Amazonino Mendes (Podemos) Davi Almeida (Avante), Josué Neto (PRTB), Marcos Rotta (DEM), Alfredo Nascimento (PL), Sinésio Campos/José Ricardo (PT), Alberto Neto (PRB), Romero Reis (Novo), Hissa Abraão (PTD), Ricardo Nicolau (PSD), Saullo Vianna (PTB) são alguns dos pré-candidatos à sucessão do prefeito Artur Neto. A maioria contratou pesquisas eleitorais para consumo interno que vão orientar os próximos passos políticos.

Duas mulheres do páreo

Conceição Sampaio (PSDB) deixou ontem (4) à tarde a Secretaria Municipal da Mulher e está apta a disputar as eleições deste ano. Conceição é uma das cartas que o prefeito Artur Neto (PSDB) tem para disputar como candidata a prefeita ou vice. No mesmo dia, outra mulher, Caroline Brelaz, também se licenciou da Secretaria de Estado da Justiça, Cidadania e Direitos Humanos também para ser candidata este ano. Caroline é apontada como uma das possíveis candidatas a prefeita ou a vice do governador Wilson Lima. Até o momento são as duas únicas mulheres que almejam a cadeira de prefeita ou vice.

Data da eleição

 As eleições previstas para o dia 4 de outubro devem ser adiadas para novembro ou mesmo dezembro. A data mais provável é dia 6 de dezembro, com as posses dos prefeitos e vereadores eleitos confirmadas para 1º. de janeiro de 2021.

Nota da Ufam decepciona

A nota oficial da Ufam garantindo que vai investigar todas as denúncias de fraude no sistema de cotas raciais não agradou. Nas redes sociais, vários internautas lembraram que existem dezenas de denúncias na Ouvidoria da Ufam e até hoje nenhum estudante que entrou ilegalmente utilizando o sistema de cotas raciais para pretos, pardos e índios teve sua matrícula suspensa ou foi expulso da instituição. 30% das vagas são destinadas todos os anos a estudantes pretos/pardos ou índios. A Ufam alegou que aprova os candidatos acreditando na “boa fé dos candidatos”, o que abre caminho para as fraudes.

Repercussão nas redes

O caso voltou a ganhar repercussão quando dezenas de estudantes considerados brancos foram denunciados na quarta-feira por terem se beneficiados das cotas alegando que são pardos, pretos ou índios. Uma das soluções seria a implantação de uma comissão de heteroidentificação para avaliar cada caso.

Ministério Público

Diante da gravidade das denúncias, a expectativa é que se tenha um movimento por parte do Ministério Público quanto ao assunto. Milhares de estudantes concorrem legalmente ao processo de ingresso na universidade e não é justo que fiquem de fora por crime visível, conforme o que se observa quanto a esse caso. 

Arthur propõe intervenção

O prefeito Arthur Neto, oficializou representação contra o governo brasileiro, na pessoa de Bolsonaro, junto a entidades internacionais e nacionais, pedindo providências para evitar a dizimação de indígenas brasileiros pela pandemia do Covid-19.

Audiência virtual

A Assembleia Legislativa do Amazonas vai realizar na próxima segunda-feira (8) às 10hs, Audiência Pública Virtual para ouvir a comunidade científica sobre o retorno das atividades presenciais durante o fim da quarentena e pico da pandemia do coronavírus no Estado. A proposta é do deputado Josué Neto

Publicações relacionadas

Mais de 400 mil pessoas já estão curadas do Covid-19 #IssoAgloboNãoMostra

Redação

Governo do Estado oferece apoio de transporte para realizar mudanças de famílias no Monte Horebe

Redação

Estado aluga avião por R$ 4,3 milhões

Redação

Deixe uma resposta