Brasil Destaques

Eduardo Pazuello afirma: ”Manaus é uma ilha no meio da Região Amazônica e é um desafio ser polo”

Na sua live de quinta feira, o presidente da república Jair Bolsonaro, recebeu o Ministro da Saúde Eduardo Pazuello que falou sobre a situação que a capital amazonense se encontra. Pazuello fez questão de frisar que, em suas próprias palavras: “Manaus é uma ilha no meio da região amazônica e é um desafio ser polo, principalmente pela questão logística”.

O ministro também declarou que Manaus sofre hoje pelo fato de não ter feito o tratamento precoce para pessoas infectadas com o COVID-19 em estados leves da doença e também, que a capital possui uma infraestrutura básica deficiente para atender pacientes com COVID 19 e outras síndromes respiratórias que ocorrem comumente na região amazônica. Pazuello também destacou a falta de recursos humanos e de oxigênio que Amazonas vem sofrendo.

Respondendo a perguntas para o portal “Pingo nos IS”, o ministro enfatizou que alguns fatores fazem com que aumente a mortalidade pelo COVID-19, entre esses fatores citados estão: tristeza, preocupações, entre outros.

O ministro relatou que o estado do Amazonas tem a necessidade diária de 75 mil metros cúbicos de oxigênio para a capital e 15 mil metros cúbicos para o interior. Pazuello afirmou que o governo federal irá encaminhar pelo ao menos 36 mil metros cúbicos de oxigênio por dia em até 6 aeronaves para o estado do Amazonas.

Imagem: Divulgação

O PRESIDENTE
O presidente Jair Bolsonaro, voltou a defender o uso da Hidróxido Cloroquina e da Invermectina para pacientes acometidos pelo COVID-19. O presidente fez piada ao falar que o povo toma medicamentos para aumentar a capacidade sexual, e em suas palavras: “toma esses medicamentos aí e nem se preocupa com os efeitos colaterais, agora pra tomar outros medicamentos não quer”.

O presidente Jair Bolsonaro mandou recado ao presidente da frança Emmanuel Macron e disse que não mande dinheiro para o brasil reflorestar, ele afirmou que mandará árvores para serem plantadas na França.

A respeito da vacina, o presidente afirmou que o governo federal irá pagar por vacinas a partir do momentos que houver liberação pela ANVISA e que a fala muito criticado de Pazuello em visita ao estado do Amazonas que afirmou que o povo seria vacinado na hora H e no dia D nada mais é que uma expressão militar muito usada.

Publicações relacionadas

‘Agora precisamos trabalhar em dobro’, diz educadora após um mês de escolas abertas com ensino híbrido em Manaus

Redação

Manaus recebe novas doses para vacinar 54,4 mil idosos de 60 a 69 anos contra a Covid-19

Redação

Podemos confirma convenção dia 16 para anunciar quem será o vice de Amazonino na disputa pela Prefeitura de Manaus

Redação

Deixe uma resposta