Política

Deputado Dermilson Chagas destaca que violência cresceu no AM porque o Governo do Estado não investiu em Segurança

O parlamentar disse que a falta de investimentos fez com que o Estado se tornasse o estado brasileiro mais violento em 2021 e com que Manaus entrasse para a lista das cidades mais perigosas do mundo em 2022

O deputado Dermilson Chagas destacou que a falta de investimento na Segurança Pública do Amazonas fez com que o Amazonas se tornasse o estado brasileiro mais violento em 2021, de acordo com levantamento feito pelo Monitor da Violência do G1, do Fórum Brasileiro de Segurança Pública e do Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo (USP), e com que a capital do Estado entrasse para a lista das cidades mais perigosas do mundo, conforme dados do Conselho Cidadão para a Segurança Pública e da Justiça Penal do México compilados pela empresa alemã Statista.

Em 2021, o Amazonas foi o Estado mais violento do país, segundo o Monitor da Violência do G1, o Fórum Brasileiro de Segurança Pública e o Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo (USP). O estudo revelou que o Amazonas registrou um aumento de 54% no número de crimes violentos entre os anos de 2020 e 2021, enquanto os demais estados tiveram queda de 7% no número de assassinatos no mesmo período.

O estudo mostrou que, em 2020, foram registrados um total de 1.019 crimes violentos de todas as naturezas (homicídios dolosos, latrocínio e lesão corporal seguida de morte). Já em 2021, os números saltaram para 1.571. Os dados revelam que foram cometidos 35,88 crimes por cem mil habitantes. O índice de crimes violentos no Amazonas supera o índice nacional em 2021 que ficou em 19,54 por 100 mil habitantes nas ocorrências totais de crimes violentos.

Com 40 homicídios por 100 mil habitantes, a capital do Amazonas está entre as 100 cidades mais perigosas do mundo em 2022, de acordo com dados obtidos com o Conselho Cidadão para a Segurança Pública e a Justiça Penal do México. No ranking, Manaus ocupa a 37ª posição de cidade mais perigosa. A capital do Amazonas deixou para trás outras cidades brasileiras conhecidas pelos altos índices de violência, dentre elas Recife, que ocupa o 39º lugar, com uma taxa de 43,72 homicídios por 100 mil habitantes.

Amazonas não tem Inteligência

O deputado Dermilson Chagas frisou que, nos demais estados brasileiros e nos países que investem em Segurança Pública, o trabalho da Inteligência é realizado diariamente, com levantamento de dados e recolhimento de informações que contribuem para as polícias se anteciparem às ações criminosas. Na atual gestão do Governo do Amazonas, em várias ocasiões, esse trabalho, que é conduzido pelas equipes da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP-AM) , Polícia Militar do Amazonas (PMAM) e Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), falhou, abrindo campo para ataques de facções, rebeliões em presídios e pirataria nos rios do Amazonas, entre outras atividades do crime organizado.

Em 27 de maio de 2019, aconteceram rebeliões em presídios do Amazonas, que deixaram um saldo de  mais de 50 detentos mortos. Ainda em 2019, em 2 de dezembro, oito presos fugiram da Unidade Prisional de Maués (a 257 km de Manaus). Na época, a Seap informou que os detentos fugiram por meio de um buraco na parede da cela. Somente nos primeiros 17 dias do ano de 2020, foram registradas em Manaus mais de 80 mortes violentas, sem que o Governo desse resposta. Em 2021, houve o ataque de facções em Manaus e em municípios da Região Metropolitana (RMM).

“Essas são apenas algumas das dezenas de ataques, rebeliões, assaltos, roubos e outros tipos de crime que acontecem e os órgãos ligados à Segurança Pública do Estado não conseguem impedir, simplesmente porque a atual gestão não investe em Inteligência e quem supostamente tem formação para isso está demonstrando que de fato não tem”, criticou o deputado Dermilson Chagas.

Delegacias sem estrutura para funcionar

A discrepância dos gastos confirma, conforme o deputado Dermilson Chagas, que o atual governador do Amazonas não sabe fazer planejamento de gestão e, sobretudo, não sabe priorizar ações e gastos que realmente tragam benefícios para a população do Estado.

“O governador Wilson Lima não aparelhou a Segurança Pública devidamente, não dando o suporte que tanto a PM quanto a Polícia Civil merecem, principalmente no interior do Estado. Eu visitei delegacias de vários municípios e o que eu encontrei foi um cenário de abandono, com delegacias funcionando sem a mínima estrutura. Além disso, a Informação e Inteligência são áreas estratégicas que auxiliam o Governo a desenvolver ações globais e coordenadas de Segurança Pública. Mas, infelizmente, este governo mostra que não se preocupa com a segurança dos seus cidadãos e investe apenas esses míseros 102 mil reais”, desabafou Dermilson Chagas.

O deputado criticou que Wilson Lima preferiu gastar recursos com propaganda e publicidade de seu governo, sendo que, de 2019 a 2021, a Secretaria de Estado de Comunicação (Secom) bateu todos os recordes da história do Governo do Amazonas gastando um total de R$ 385 milhões. Somente neste ano de 2022, já foram gastos mais de R$ 50 milhões.

“E, apesar dessas cifras milionárias, o governador Wilson Lima não dá satisfação para onde está indo todo esse dinheiro, que é recurso público e os órgãos de controle fecham os olhos a todos esses absurdos dessa péssima gestão, que quer se perpetuar no Governo do Amazonas, para achacar os cofres públicos ainda mais”, ressaltou Dermilson Chagas.

Desenvolvimento do Estado foi prejudicado

O deputado Dermilson Chagas enfatizou que o desenvolvimento do Estado, sobretudo na área da Economia, foi comprometido pela falta de investimentos na Segurança Pública, o que impediu o Amazonas de gerar mais riquezas e proporcionar qualidade de vida para os seus 4,2 milhões de habitantes. O parlamentar destacou que, entre outros dados negativos que constam no Portal da Transparência, no ano de 2021, o investimento da Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM) em Informação e Inteligência, que é primordial para se planejar as estratégias de segurança pública, foi de apenas R$ 102 mil, enquanto o órgão gastou mais de R$ 8 milhões com propaganda e publicidade de suas atividades.

“Eu sempre disse que o Governo do Amazonas não sabe planejar os seus gastos. E esse é um exemplo muito claro da falta de planejamento desta atual gestão, que prefere divulgar na TV, na rádio e na internet ações que não se concretizam na prática. Por isso, o Monitor da Violência apontou que o Amazonas foi o estado brasileiro mais violento em 2021”, comentou o deputado Dermilson Chagas.

O deputado Dermilson Chagas enfatizou que a falta de uma política pública clara e definida para a segurança pública impede o desenvolvimento mais rápido do Amazonas, porque afasta potenciais investidores, prejudica o turismo nacional e internacional e impede que os seus habitantes tenham qualidade de vida.

“O Governo do Amazonas deveria trabalhar para garantir incentivos aos empresários para estimular a instalação de mais indústrias, principalmente no interior para impulsionar a geração de empregos no Estado, além disso, ele deveria prospectar no mercado externo e atrair investimentos nacionais e internacionais para a ampliação do Polo Industrial do Amazonas (PIM) e implementar de novos negócios, entre outras iniciativas. Mas, com esse perfil de estado violento, quem é que vai querer investir no Amazonas, qual o turista que vai querer visitar o nosso Estado, especialmente quando as notícias que correm o mundo é que o tráfico dominou todo o Amazonas e que o Estado não consegue dar resposta e nem segurança para os seus próprios habitantes?”, questionou o deputado Dermilson Chagas.

Publicações relacionadas

Presidente da Aleam, Roberto Cidade participa da posse da nova corte do Tribunal de Justiça do Amazonas

Redação

Durante homenagem na Aleam, Roberto Cidade ressalta compromisso do coronel da PM, Fabiano Bó, com o Amazonas

Redação

Drone atira fezes e urina em apoiadores de Lula e Kalil antes de evento

Redação

Deixe um comentário