Amazonas Destaques Manaus

CPI da saúde analisa 17 requerimentos

Manaus – Os trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), que tem como objetivo investigar os gastos do governo do Estado no setor da Saúde, entre os anos de 2011 até 2020, foram iniciados nesta terça-feira (26), na Assembleia Legislativa do Estado (ALE), com a apresentação de 17 requerimentos, que estão sendo analisados pelos membros.

A primeira reunião do grupo, formado pelos deputados Delegado Péricles (PSL), Serafim Corrêa (PSB), Wilker Barreto (Podemos), Fausto Júnior (PRTB) e Dr. Gomes (PSC), foi aberta por seu membro mais velho. Serafim Corrêa conduziu o processo de votação do presidente da CPI, que terminou com a eleição unânime do deputado Delegado Péricles. O parlamentar também é o autor da proposta de investigação.

Já na condução dos trabalhos, Delegado Péricles, convocou os demais membros do grupo para a escolha do deputado relator da CPI. Fausto Júnior foi o escolhido, também por unanimidade.

Delegado Péricles já havia sido indicado como presidente da primeira formação da comissão, na última semana (Foto: Danilo Mello/ALE)

Nesta quarta-feira (27), às 15h, a CPI fará uma reunião extraordinária para que os membros suplentes sejam escolhidos e se juntem aos trabalhos do grupo, quando se fizer necessário. A informação foi repassada pelo presidente e autor da CPI, deputado Delegado Péricles.

De acordo com o parlamentar, a escolha do primeiro, segundo e terceiro suplente da CPI, se dará por indicação dos cinco blocos partidários da Casa, cabendo a ele escolha de três nomes. Entre os nomes que foram indicados durante a reunião desta terça, está o do deputado Dermilson Chagas (Podemos) e Alessandra Campêlo (MDB). Os demais blocos terão até amanhã para indicar seus representantes.

Segundo a ALE, a CPI da saúde não terá custo inicial aos cofres do Poder Legislativo. A informação foi ressaltada pelo presidente e relator da Comissão. Segundo ele, somente em casos de extrema necessidade, é que recursos serão aplicados. “Somente se uma viagem for necessária, o que acho difícil de acontecer”, ponderou o Delegado Péricles, que destacou a existência de 17 requerimentos que já estão sendo distribuídos para a avaliação de seus colegas.

Ainda de acordo com o Legislativo Estadual, foi unânime entre o grupo a “ideia de trabalhar dentro da legalidade e preservando os valores públicos durante os meses que a CPI estará ativa, em busca de compreender os motivos que levaram ao colapso o sistema de saúde do Estado, prejudicado mesmo antes da chegada da Covid-19 ao Amazonas”.

“É uma grande responsabilidade. Anualmente, são gastos bilhões no sistema de saúde no Amazonas. Nosso sistema está precário e não é de hoje. Faremos um bom trabalho. Não será caça às bruxas. Não vamos imputar nada a quem for inocente, mas também não vamos passar a mão na cabeça de ninguém”, disse o Delegado Péricles ao finalizar a reunião que durou pouco mais de trinta minutos.


Publicações relacionadas

MPF pede respostas sobre resgate de mortos em naufrágio do Anna Karoline III

Redação

Serviços de mutirão e capinação avançam pelos bairros de Manaus

Redação

Envolvida na Operação Maus Caninhos Nejmi Aziz não assumira Vaga de Ricardo Nicolau

Redação

Deixe uma resposta