Amazonas Destaques Manaus

CPI constata contradição em depoimento e vê ligação de presidente da Aades com Carla Pollake

Manaus – A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Saúde, da Assembleia Legislativa do Estado (ALE), ouviu na tarde dessa quarta-feira (15) o presidente da Agência Amazonense de Desenvolvimento Econômico e Social (AADESAM), Bráulio da Silva Lima, a respeito do projeto ‘Anjos da Saúde’, com valor de R$ 5,5 milhões. Bráulio declarou que Carla Pollake não participou da elaboração do projeto e que o marido dela, o psicanalista Inácio Ferreira, não faz parte das pessoas contratadas pelo programa.

O Programa Anjos da Saúde veio à tona na CPI após o depoimento do ex-secretário da Secretaria de Estado de Saúde (Susam), Rodrigo Tobias, no dia 29 de junho. Durante o depoimento, Tobias disse que recebeu o projeto da marqueteira do governo do Estado, Carla Pollake, com pendências e que por isso se recusou a assiná-lo. Ele disse também que recebeu orientação para que a implantação fosse rápida. Segundo o ex-secretário, havia pendências  no projeto Anjos da Saúde e por isso se recusou a assinar em um primeiro momento. De acordo com Tobias, esse foi um dos motivos para que ele deixasse a Secretaria de Saúde do Estado. Carla Pollake foi ouvida pela CPI no dia 6 de julho.

Bráulio começou o depoimento relatando que entrou na Aadesam no dia 2 de janeiro de 2019, como diretor técnico. No dia 28 de março, pela falta de um presidente, assumiu a responsabilidade de responder pela agência. No dia 26 de agosto foi nomeado como presidente.

Em relação ao projeto, Bráulio afirmou que recebeu da Susam um ofício solicitando a elaboração do projeto no dia 27 de fevereiro deste ano. Ele também falou que participou de uma reunião na Susam com o então secretário Rodrigo Tobias, sem a participação de Carla Pollake.

Bráulio contou que foram contratados para o projeto Anjos da Saúde 175 pessoas, sendo 39 para o administrativo do projeto, contratados a partir do dia 06 de abril, e o restante por meio de processo seletivo ocorrido no dia 28 do mesmo mês. No dia 06 de maio os contratos foram homologados.

O diretor da Aadesam disse que o projeto Anjos da Saúde não é de R$ 6 milhões, como tem sido noticiado, mas de R$ 5.573.012,66. Ele também disse que desse valor já foram pagos, no dia 6 de maio, R$ 2.476.875,35.

O deputado Wilker Barreto (Podemos) falou sobre a relação de nomes dos contratados pelo projeto ‘Anjos da Saúde’ que não foi enviada à CPI da Saúde. Segundo Braúlio, a lista foi enviada às 14h desta quarta-feira (15).

O deputado Serafim Corrêa (PSB) disse que a relação foi envida para dificultar a CPI. O presidente da Aades disse que enviou o documento dentro do prazo, que é de 15 dias. O deputado Delegado Péricles (PSL) e o deputado Fausto Jr. (PRTB) pediram para que os depoentes só sejam ouvidos após o prazo dado para entrega de documentos, para melhor estudo.

O deputado Wilker Barreto disse que o ex-secretário da Susam, Rodrigo Tobias, mentiu quando disse à CPI que não tinha participado do projeto e que só ficou sabendo no fim do mês de março. Bráulio apresentou documentos que comprovam que Tobias assinou um oficio solicitando o projeto no dia 27 de fevereiro.

Os membros da CPI questionaram que relação de contratados pelo projeto, que foi enviada uma hora antes de Bráulio ser ouvido pela CPI, havia apenas 136 nos. Que os 39 de cargos de chefia, não constavam na lista enviada. Bráulio então entregou à lista a comissão durante seu depoimento.

Bráulio relatou que do dinheiro recebido no dia 6 de maio, R$ 1.944.329,38, ainda estão no cofre da Aadesam. O deputado Wilker Barreto pediu que, por conta das irregularidades e sobre as suspeitas de corrupção no projeto, que ele foi suspenso e que o dinheiro seja devolvido aos cofres públicos.

Bráulio disse que estava desconfortável quando o Deputado Péricles perguntou sobre quem estava na reunião da Susam que Bráulio participou. A CPI mostrou o vídeo do Inácio Ferreira, marido de Carla Pollake. Bráulio disse que não conhecia e que Inácio não fazia parte dos contratados.

A CPI então mostrou uma foto de Bráulio ao lado da Carla Pollake, em uma postagem dizendo que estavam em reunião para tratar sobre a “aquisição de material para o projeto”. A postagem está nas redes sociais da gerente de projetos do ‘anjos da Saúde’.

Bráulio desconversou e disse que ela tinha ido para a reunião para falar sobre um projeto de cultura. Serafim Corrêa disse que era muito estranho o governo chamar uma paulista para pesquisar sobre a cultura do Amazonas.

COMPARTILHE

Publicações relacionadas

Em menos de 24horas, Brasil tem 6 mil novos casos suspeitos do novo coronavírus

admin

Bandidos invadem faculdade de Manaus e roubam aluna

admin

Após firmar parceria, Governo do Amazonas encaminha primeira criança cardiopata para cirurgia em São Paulo

admin

Deixe um comentário