Amazonas Destaques Manaus

Covid-19 e falência da rede hospitalar criam pânico no Amazonas

O colapso na rede pública de saúde do Amazonas já dura pelo menos  dez anos. Mas um colapso dentro do colapso é uma situação de caos total. Ao dizer que o  sistema de saúde do Estado pode ser afetado drasticamente pela evolução da pandemia, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta,  cria um cenário de pânico. O quadro leva a pintura do secretário de Saúde do Amazonas,  Rodrigo Tobias, que fixa uma data para a implosão do sistema: “a gente pode colapsar até domingo e no mais tardar no início da semana”.

Apesar da oferta da rede privada, mais organizada e aparelhada – como Samel e hospital Nilton Lins – que  podem ser contratados – Mandetta e Tobias vendem dificuldade.

Para uma população aflita e indefesa, o discurso dos dois agentes públicos é ruim. Revela incompetência federal e estadual em disponibilizar condições para o enfrentamento da pandemia.

Os governos têm o dever de oferecer esperança, de disseminar otimismo., embora seja  salutar a ideia do confinamento – que deve ser seguido, mas quando o sistema de saúde entra em colapso com apenas 45 leitos de UTI ocupados –  é porque nunca se cuidou da saúde da população.

Fonte: Portal do Holanda

Publicações relacionadas

Motoristas promovem carreata em Manaus e se aglomeram em frente ao CMA para pressionar saída do governador do AM

Redação

Prefeito assina termo aditivo para renovação da frota de ônibus

Redação

Novo golpe usa c de auxílio emergencial para roubar dados pessoais

Redação

Deixe uma resposta