Cotidiano Amazonas Destaques Manaus

Comitê de Combate à Corrupção encaminha denúncia contra a ex-secretária da Sejus ao Ministério Público

Denúncia é de abuso de poder político e econômico, contra Caroline da Silva Braz, que poderá ser o nome de Wilson Lima para disputar a Prefeitura de Manaus

O Comitê do Amazonas de Combate à Corrupção e Caixa Dois Eleitoral ingressou, nessa sexta-feira, (05), junto à Coordenadoria do Centro de Apoio Operacional às Promotorias Eleitorais do Ministério Público do Estado do Amazonas – MPE/AM, com representação contra Caroline da Silva Braz – ex-secretária de Estado de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (SEJUSC), por condutas vedadas e abuso de Poder Político e Econômico.

Caroline da Silva Braz, pediu exoneração da função na quinta-feira (4) com o objetivo, de disputar as eleições municipais agendadas para outubro, sendo apontada, como nome que poderá ter o apoio do governador Wilson Lima para concorrer a prefeitura de Manaus.

Denúncia feita por funcionários

Segundo o comitê, foram recebidas denúncias de funcionários SEJUSC do Amazonas, com imagens extraídas das redes sociais, blogs e da própria secretaria, onde aparece à senhora Caroline da Silva Braz usando a estrutura da máquina pública para autopromoção, com atos assistenciais, tais como, emissão de 2ª via do RG, entrega de quatro mil máscaras e álcool em gel à instituições que trabalham com o público LGBT e Pessoas com Deficiência (PcDs), distribuição de 350 kits de proteção individual; realização de vacinação “drive-thru”. Ações amplamente divulgadas nas mídias digitais, na página pessoal do facebook(@CarolBraz), com o nítido propósito de promoção pessoal, desrespeitando o princípio da impessoalidade na execução de tais programas custeados com verba pública.

O comitê ingressou oficialmente com a denúncia, acolhendo as provas colhidas, inclusive anexadas à representação eleitoral, e solicitou ao coordenador das promotorias eleitorais do Ministério do Estado do Amazonas – MPE/AM, a apuração de possíveis ilícitos e o cumprimento da legislação eleitoral brasileira em vigor, com aplicações das sanções cabíveis no artigo 73 da Lei 9.504/97 no artigo 22 da Lei Complementar 64/1990, assim como, avaliar o pedido de Investigação Judicial Eleitoral para identificar o cometimento de possíveis crimes eleitorais para beneficiar a ex-secretária da SEJUS.

FONTE:portalunico

Publicações relacionadas

Atraso de salários agrava crise nos hospitais públicos do Amazonas

Redação

Josué Neto anuncia em live apoio a candidatura de David Almeida

Redação

Prefeitura alerta sobre golpe com falsos servidores de saúde

Redação

Deixe uma resposta