Manaus Amazonas Destaques

Centenas de pessoas ignoram distância de proteção e madrugam em fila na porta de agência bancária de Manaus

Em Manaus, centenas de populares ignoraram a distância de proteção e madrugaram em uma fila aglomerada na porta de uma agência bancária na Zona Leste de Manaus nesta segunda-feira (20). A fila era quilométrica e deu a volta em um quarteirão. Manter distância mínima de, aproximadamente, 1,5m de uma pessoa para outra é uma das recomendações de órgãos de saúde durante a pandemia do novo coronavírus.

Até o último boletim divulgado neste domingo (19), o Amazonas contabilizou 2.044 casos de covid-19, além de 182 mortes.

Na Avenida Autaz Mirim, na porta de uma agência bancária, o G1 constatou que a população não têm respeitado recomendações dos órgãos de saúde. A fila quilométrica teve início na noite deste domingo (19), pessoas chegaram a dormir no local.

A Polícia Militar esteve no local na manhã desta segunda-feira (20) para tentar realizar o controle na fila. Centenas de pessoas que aguardavam a vez, utilizavam máscaras como forma de prevenção a covid-19, mas elas contrariavam o distanciamento recomendado e estavam muito próximas uma das outras.

Polícia Militar acompanha movimentação em agência de Manaus — Foto: Eliana Nascimento
Polícia Militar acompanha movimentação em agência de Manaus — Foto: Eliana Nascimento

Polícia Militar acompanha movimentação em agência de Manaus — Foto: Eliana Nascimento

A dona de casa Fernanda Vasconcelos, de 36 anos, disse que chegou ao local por volta das 4h com o objetivo de sacar o auxílio emergencial no valor de R$600, disponibilizado pelo governo federal durante a pandemia do novo coronavírus.

“Mesmo eu saindo de casa bem cedo, já tinha muita gente aqui [na fila]. Não tenho noção do horário que chegará minha vez de sacar o auxílio, tem mais de cem pessoas na minha frente. A aglomeração, infelizmente acontece pois não tem organização”, disse.

Conforme informação da Federação Brasileira de Bancos (Febraban), com a pandemia, os bancos atendem, agora, com limite de pessoas no interior das agências e apenas com transações essenciais.

As agências realizam atendimento ao público, no mínimo, das 10h às 14h e adiantaram a abertura de determinadas unidades para atendimento exclusivo de consumidores de maior risco, em especial, aposentados e pensionistas, em, no mínimo, uma hora.

–:–/–:–

Agências bancárias alteram forma de atendimento no AM

Agências bancárias alteram forma de atendimento no AM

Aglomeração em ruas de Manaus

O Amazonas ultrapassou a marca de 2 mil casos do novo coronavírus e, o governo tem tomado medidas. Mesmo com a recomendação da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), situação de aglomeração de pessoas em ruas da capital amazonense tem sido recorrente.

No dia 3 de abril, quando o Amazonas ainda tinha 229 casos registrados, o G1 registrou aglomeração de pessoas e comércios de serviços não essenciais abertos, em Manaus. O Governo do Estado decretou isolamento social.

De acordo com o decreto publicado no Diário Oficial do estado do Amazonas no dia 24 de março, foi definido que funcione apenas os serviços essenciais, como:

  • supermercados atacadista e pequeno varejo alimentício;
  • padarias, exclusivamente para venda de produtos;
  • restaurantes na modalidade delivery;
  • distribuidora de água mineral e gás de cozinha;
  • estabelecimentos que comercializem alimentos e medicamentos destinados a animais;
  • agências bancárias e loterias utilizando o protocolo de segurança visando evitar a aglomeração de pessoas na área interna e externa do estabelecimento.

Por conta do avanço no número de casos, o governador Wilson Lima assinou no início do mês o decreto que reforça medidas durante a pandemia do novo coronavírus. Por conta do descumprimento de alguns comerciantes, uma operação da polícia foi realizada no dia 6 de abril.

Publicações relacionadas

Flamengo vence Bangu no retorno do primeiro estadual do país

Redação

CIENTISTAS DIVULGAM FOTO DE BURACO NEGRO CUSPINDO ENERGIA

Redação

Wilson Lima anuncia nova delegada geral da Polícia Civil do Amazonas, durante inauguração da sede do DRCO

Redação

Deixe uma resposta