Amazonas Destaques Manaus

Câmara Municipal de Manaus presta homenagem póstuma a Zezinho Corrêa

Olin Corrêa Brandão, filho do cantor Zezinho Corrêa, falecido no início do ano vítima de complicações causadas pela Covid-19, foi agraciado com a Medalha de Ouro Cidade de Manaus, concedida em caráter póstumo, na Câmara Municipal de Manaus( CMM), durante a manhã desta quarta-feira (16).

A homenagem, proposta pelo vereador Rosivaldo Cordovil que, emocionado, disse que a outorga da medalha seria realizada no ano passado.


Newsletter – Receba os destaques do portal A Crítica todos os dias no seu e-mail.


“Em 2019, apresentamos ao Zezinho essa homenagem e ele ficou muito feliz. Não conseguimos fazer em 2020 devido à pandemia. Mas, não conseguimos fazê-la em vida porque a Covid-19 o levou. Não conseguimos homenagear, em vida, o nosso amigo. Quantas pessoas não foram ao Sesc para vê Zezinho Cantar? Quantas pessoas não ouviram Zezinho no Boi Manaus? Ele era amado por todos. Nos emocionamos com a música de Zezinho Corrêa”, disse o vereador. 

O Secretário Estadual de Cultura(SEC), Marcos Apollo Muniz, disse que a morte de Zezinho Corrêa deixou a todos órfãos.

“Eu queria lembrar que em determinado momento colocamos o Zezinho em um guindaste e ele tinha medo de altura. Ele só subiu porque tinha confiança no nosso trabalho. Em nome do Governo do Amazonas queremos deixar nosso respeito e carinho ao Zezinho. Eu, como amigo do Zezinho deixo meu sentimento. Não consigo me estender além dessas palavras. Eu deixo aqui as palavras ‘Quando fico sem te ver, meu coração bate sem jeito. Vejo à noite se perder e esa vontade de te vê não passa. É tão difícil sem você, volte logo para calar meu coração’. Como temos certeza de que encontraremos ele em outra esfera, fica essa esperança para acalmar nossos corações”, finalizou. 

O diretor-presidente da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Eventos, Alonso Oliveira também falou sobre a contribuição de Zezinho Corrêa.

“Celebramos a memória e obra de um dos maiores artistas amazonenses. A vida do cantor Zezinho Corrêa é uma lição de vida e expressa a trajetória de milhares de pessoas que, oriundas das margens dos rios de nossa terra, viram para Manaus em busca de uma vida melhor. Esse filho da floresta nascido nos beiradões de Carauari teve a coragem, a força para tornar possível seus propósitos, conquistando sua gente, projetando-se artisticamente no plano mundial. Essa conquista foi possível por seu talento e história de sua arte”, disse o diretor. 

Família

A irmã do cantor, Maria de Fátima Corrêa Borel, se emocionou ao lembrar de Zezinho. Quase chorando, ela disse que ainda não realizou a morte do artista.

“Eu fiquei muito emocionada. Realmente, meu irmão foi tudo isso que falaram aqui. Pra mim, ele tá aí ‘pras Europas’, viajando. Ele era uma pessoa diferente. Sempre falei pra ele ‘mano, não me deixa só. Não conseguirei viver sem você perto de mim’. O meu coração ainda não está bem, procuro estar junto de todos da família. Todos nós amávamos muito ele. Eu sempre estava lá com ele, acompanhando-o, como se meus olhos fossem de papai e mamãe vendo-o fazer sucesso. E vi pessoas cantando, dançando, gritando e aplaudindo de pé. Eu só quero agradecer”, disse a irmã. 

O filho Olin Corrêa, agraciado com a medalha, disse que Zezinho Corrêa era mais que um artista. Era um pai.

“O Zezinho que eu conheço era o homem que escolheu me chamar de filho. Conheci a pessoa que fazia sempre aquele café preto, na metade da xícara, com pelo menos 4 colheres de açúcar. Conheci o homem que não gostava de deixar o chinelo virado do avesso. Conheci o homem que sempre levava rancho para minha prima Lara, que é autista, que ele cuidava dela. Essa medalha foi dada pela casa do povo mostrando a gratidão que o povo tem pelo meu pai. Isso aqui não é meu, é dele. Agradeço o enorme carinho e dedicação e essa homenagem. Agradeço a Deus por ter me dado um pai como o Zé”, disse o filho do artista. 

A cerimônia foi recheada de músicas interpretadas por Zezinho Corrêa pela voz da cantora Vanessa Alfaia. No fim, a música Tic-Tic-Tac, eternizada na voz do artista, foi interpretada pelo vereador Raiff Matos. A música de Zezinho ecoou pela Câmara que até o tradutor de Libras, não resistiu e traduziu a música dançando ao som do sucesso de Zezinho Corrêa.

Publicações relacionadas

Prefeito de Pauini vai gastar quase R$ 1 milhão com avião e hotel

Redação

Tóquio avança para segunda etapa no plano de recuperação

Redação

Denunciado por jogar enteada de 2 meses em igarapé, homem acaba preso com drogas em Manaus

Redação

Deixe uma resposta