Sem categoria

Busca no Porto de Manaus é suspensa por falta de equipamento

MANAUS – A busca pelo corpo de um homem que sofreu um acidente no Porto de Manaus, no Centro, e caiu no Rio Negro, foi suspensa pela falta de equipamento de segurança aos mergulhadores do Corpo de Bombeiros.

Na tarde desta terça-feira, 6, o Centro de Operações Bombeiro Militar foi informado que um trabalhador do porto, ainda não identificado, bateu a cabeça e caiu na água. O pelotão foi acionado e iniciou as buscas. Porém, um dos mergulhadores passou mal durante o mergulho.https://googleads.g.doubleclick.net/pagead/ads?client=ca-pub-9863085251226930&output=html&h=280&adk=3945022384&adf=15685680&pi=t.aa~a.369024205~i.7~rp.4&w=768&fwrn=4&fwrnh=100&lmt=1617885862&num_ads=1&rafmt=1&armr=3&sem=mc&pwprc=9758937064&psa=1&ad_type=text_image&format=768×280&url=https%3A%2F%2Famazonasatual.com.br%2Fbusca-no-porto-de-manaus-e-suspensa-por-falta-de-equipamento-a-mergulhadores%2F&flash=0&fwr=0&pra=3&rh=192&rw=768&rpe=1&resp_fmts=3&wgl=1&fa=27&uach=WyJXaW5kb3dzIiwiMTAuMCIsIng4NiIsIiIsIjg5LjAuNDM4OS4xMTQiLFtdXQ..&dt=1617883873752&bpp=5&bdt=7931&idt=5&shv=r20210406&cbv=r20190131&ptt=9&saldr=aa&abxe=1&cookie=ID%3D8560b23bdcd4f2ab-220a0cfacfb300d5%3AT%3D1617883871%3ART%3D1617883871%3AS%3DALNI_MaCYhrDULcsLjZUBvYpV2Chi98Ttg&prev_fmts=0x0&nras=2&correlator=2597613047567&frm=20&pv=1&ga_vid=1507926438.1611921022&ga_sid=1617883872&ga_hid=759807891&ga_fc=0&u_tz=-240&u_his=1&u_java=0&u_h=768&u_w=1366&u_ah=728&u_aw=1366&u_cd=24&u_nplug=3&u_nmime=4&adx=291&ady=1370&biw=1349&bih=568&scr_x=0&scr_y=0&eid=182982000%2C182982200%2C44740079%2C31060048%2C44739387&oid=2&pvsid=3176891121631007&pem=868&ref=https%3A%2F%2Fnews.google.com%2F&eae=0&fc=384&brdim=0%2C0%2C0%2C0%2C1366%2C0%2C0%2C0%2C1366%2C568&vis=1&rsz=%7C%7Cs%7C&abl=NS&fu=128&bc=31&ifi=15&uci=a!f&btvi=1&fsb=1&xpc=7og1HyzzIK&p=https%3A//amazonasatual.com.br&dtd=M

Na manhã desta quarta-feira, 7, os trabalhos foram suspensos. Segundo nota da corporação, para a segurança do mergulho é necessária uma câmara hiperbárica, que está indisponível. É um equipamento usado para tratar efeitos colaterais que o mergulho provoca no profissional com as diversas pressões e variações de volume.

câmara hiperbárica
Câmara hiperbárica, usada para tratar efeitos colaterais em mergulhadores (Foto: Divulgação/CBMAM)

A câmara retira o excesso de nitrogênio que se acumula no organismo durante o mergulho e caso ocorra um acidente, o instrumento pode ajudar na recuperação do mergulhador. Quanto mais fundo, menos ar nos pulmões e maior a pressão, que faz com que o nitrogênio se acumule na corrente sanguínea, gerando sequelas e podendo levar à morte se a retirada não for feita.

Na busca dessa terça-feira, o mergulhador sofreu uma descompressão e por isso se sentiu mal. Os trabalhos serão retomados quando a saúde do profissional for reestabelecida.

A corporação informa que a câmara que atende os mergulhadores não pertence aos bombeiros e está no Hospital Beneficente Portuguesa, pois é de uma empresa terceirizada que também atende a unidade. O equipamento custa R$ 4.030 por mês, segundo o Corpo de Bombeiros.

Publicações relacionadas

Presidente da Aleam apresenta PL para alertar sobre Depressão Infanto-Juvenil

Redação

Serviços do Google ficam fora do ar nesta segunda-feira

Redação

Pesquisa Ibope confirma segundo turno em Manaus

Redação