Amazonas Destaques Manaus

Bolsonaro entra na justiça para ter direito de resposta no JN da Globo

Parece que agora a Globo arrumou o que queria, após Brizola que ganhou o direito de resposta na emissora lixo dos Marinhos, a vez agora é de Bolsonaro. De acordo com o site O Antagonista, a Presidência da República entrou com uma ação na Justiça Federal do Rio solicitando direito de resposta no ‘Jornal Nacional’.

Jair Bolsonaro quer rebater as mentiras feitas por William Bonner e Renata Vasconcellos à gestão da pandemia de covid-19 no Brasil. A Globo Lixo não tem tido limites para bater no presidente, a última vez foi a mentira descarada da apresentadora Maju Coutinho.

Na edição de 8 de agosto, a pauta que dominou o principal telejornal da Globo foi a chegada à marca de 100 mil brasileiros mortos pelo novo coronavírus. O ‘JN’ responsabilizou o chefe do Executivo pela situação caótica no País e o apontou como má influência à população.

Bonner relembrou declarações polêmicas de Bolsonaro ao comentar a pandemia, como o termo “gripezinha”, a frase “não sou coveiro” e a resposta “e daí?” ao ser questionado por um jornalista pelos primeiros 5 mil mortos. “Agora o presidente repete que a pandemia é uma chuva e que todos vão se molhar, ou que a morte é o destino de todos nós e que temos de enfrentar a doença, como se fosse uma questão de coragem. Como se nada pudesse ter sido feito”, disse o âncora e editor-chefe, visivelmente contrariado.

Renata comentou a atribulada saída de Luiz Henrique Mandetta e Nelson Teich do governo. “Dois médicos de formação deixaram o cargo de ministro da Saúde porque pretendiam seguir as orientações da ciência, e o presidente Bolsonaro não concordou com essa postura deles.” Afirmou ainda que tal atitude negacionista confundiu muitos brasileiros e produziu um “isolamento capenga”.

No momento mais incisivo daquela edição do ‘JN’, houve um questionamento a respeito da competência de Bolsonaro. “Nós já mostramos o que diz o artigo 196 (da Constituição). É dever das autoridades que governam o País implementar políticas que visem a reduzir o risco de doenças. E a pergunta que se põe é: o presidente da República cumpriu esse dever?”, argumentou a jornalista.

Além de sugerir omissão do presidente no gerenciamento da pandemia no País, o ‘Jornal Nacional’ deu a entender que ele foi insensível com os doentes e as famílias das vítimas fatais. Menos de 24 horas depois, Bolsonaro reagiu em mensagem no Facebook. “Muitos gestores e profissionais de saúde fizeram de tudo pelas vidas do próximo, diferentemente daquela grande rede de TV que só espalhou o pânico na população e a discórdia entre os Poderes”, escreveu.

Publicações relacionadas

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Redação

Passageiros que desembarcam em Manaus passam a ser monitorados por app durante quarentena

Redação

Comandante de barco é preso suspeito de estuprar neta da companheira durante 8 anos em Manaus

Redação

Deixe uma resposta