Amazonas Destaques Educação Manaus

Bicharada:“A saga de um tracajá em busca de sua própria canção e das vozes de seus ancestrais” surge em meio ao fogo do Brasil

O projeto Bicharada lançará cinco ações multimídia, com transmissão pelo Portal MeVer.

Serão duas sessões no formato de leitura cênica agendada para os dias 08 e 09 de maio; sete oficinas formativas transmitidas; lançamento da peça para broadcast em formato de teatro radiofônico, que será transmitido pela rádio Jagube e ficará disponível no spotify; e o lançamento e distribuição de mini-documentário (vídeocast) do projeto com um olhar sensível sobre o processo criativo, que será disponibilizado pelo youtube.

O projeto põe luz à leitura cênica da obra “Bicharada” que conta “a saga de um Tracajá em busca de sua própria canção e das vozes de seus ancestrais”. A leitura cênica do espetáculo será transmitida pelas plataformas: Rádio Jagube, canal Youtube, Portal das Artes MeVer, Instagram e Facebook. O projeto Bicharada na Floresta foi contemplado na categoria teatro, pelo Programa Cultura Criativa – 2020 / Lei Aldir Blanc – Prêmio Feliciano Lana do Governo do Estado do Amazonas, com apoio do Governo Federal – Ministério do Turismo – Secretaria Especial da Cultura, Fundo Nacional de Cultura.

A equipe do projeto é transnacional, está em diversos lugares do Brasil e em Portugal. O formato já vem sendo praticado pelo projeto de extensão, ensino e pesquisa, Arte e Comunidade da Universidade Estadual do Amazonas (UEA), desde o seu último espetáculo “Roque Severino”. As duas sessões para leituras cênicas serão transmitidas às 15h Manaus,16h Brasília, 20h em Portugal. A sessão do dia 09 contará com tradução de libras e possibilitará acesso aos deficientes visuais, em especial via rádio Jagube.

A coordenadora geral do projeto e do Arte e Comunidade, a professora Amanda Ayres, afirma que desde dezembro de 2020, o Arte e Comunidade e seus parceiros tem dedicado seu tempo à pré-produção e produção destas cinco ações culturais conectadas ao estado Amazonas, enredando mais três estados brasileiros e prevê seguir um percurso de internacionalização para esta criação.

“A saga de um Tracajá em busca de sua própria canção e das vozes de seus ancestrais” conta a estória de um quelônio que para realizar esta busca e encontrar a voz dos seus ancestrais, sobrevive à destruição da floresta amazônica, encontra a Onça Pintada, o Urubu-Rei, o Bicho-Preguiça e a Anaconda. Os mestres encantados conduzem o contador de histórias Griô pela saga de uma escuta sensível de si, dos outros animais e da floresta.

Para Amanda Ayres, a necessidade de buscar caminhos que viabilizem a nossa reconexão com a Mãe Natureza é urgente, temos investido em um repensar sobre os nossos posicionamentos individuais e coletivos perante os desafios que tem se apresentado à humanidade.

O projeto é inspirado na canônica obra musical “Os Saltimbancos”, em que um quarteto de animais cantores se une contra a opressão dos seus patrões. Esta dramaturgia é de autoria do atual ganhador do prêmio Camões, o compositor Chico Buarque de Holanda. “O projeto bicharada tem mobilizado uma equipe muito especial e demonstrado que não há distância que impeça a formação de coletivos quando o foco é multiplicar sensibilidades poéticas”, diz Amanda Ayres e acrescenta: para tanto, contamos com especialistas tanto do Teatro e Tecnologia como das demais áreas do campo das Artes Cênicas”.

O projeto “Bicharada” conta com atravessamentos e releituras das obras e dos legados do clássico ao contemporâneo de artistas, pensadores, filósofos, escritores e ambientalistas como: Vandana Shiva, Davi Kopenawa, Guimarães Rosa, Platão, Manoel de Barros, Ailton Krenak, Eduardo Galeano, David Attenborough entre outros, para encontrar a medida certa da mensagem que os cinco animais amazônicos vão falar, cantar e escutar.

O projeto é realizado em parceria com o Arte e Comunidade da UEA, que desenvolve ações artístico-pedagógicas em colaboração com comunidades indígenas, ribeirinhas e de raiz afro-brasileira para uma co-criação artivista desde 2013, e a InsanaCena coletivo artístico luso-brasileiro transdisciplinar que cria espetáculos no domínio das artes performativas, há doze anos desenvolvendo projetos artísticos engajados e, atualmente, está sediada em Lisboa.
O trabalho conta também com a parceria do Portal das Artes Mever (Distrito Federal) que há mais de 10 anos desenvolve pesquisas, experimentos, processos criativos e transmissões de obras de Artes Cênicas pela Internet. O Estúdio Savana Rise (Minas Gerais), CoLab (Minas Gerais), Allegriah (Amazonas) e República 14 (Algarve – Portugal) também compõem a equipe de parceiros.

Reação ao descalabro incendiário na maior floresta tropical do mundo

A abordagem cênica do projeto “Bicharada na Floresta”, que resulta nesta série de produtos multimídia, é uma reação à colocação do Brasil como primeiro colocado no ranking de queimadas da América Latina, dado publicado na fonte Climatempo do Portal Terra. “Com todos esses animais correndo risco de extinção, ora pela massiva ação do mercado de carne de animais selvagens, ora pela depredação e devastação ambiental provocada pela grilagem/mineração ilegal ou legal, nas reservas indígenas amazônicas, que revira toda terra e polui os rios, e mais recentemente pelo descalabro incendiário na maior floresta tropical do mundo, o Bicharada entra em cena”, afirma o diretor artístico do espetáculo, Guto Martins.

O projeto está dividido em duas fases. A primeira fase iniciada em janeiro será concluída em maio de 2021, e prevê o compartilhamento do processo de criação de uma dramaturgia autoral coletiva para podcast no formato de teatro radiofónico, a realização de pílulas poéticas em formato audiovisual (making-off) e a oferta de oficinas.

Para Guto Martins, esta primeira fase em que todo processo de pré-produção, criação e execução que vem se desenvolvendo de maneira telepresencial, levou à criação para uma encenação radiofônica, em suporte PODCAST. “Assumo que parece ser uma excelente alternativa, frente aos curtos prazos de execução de projeto lançados pelos mecanismos de fomento, e que está também alinhada com uma iniciativa de conscientização do controle e combate à disseminação do coronavírus em escala global, até porque o projeto reúne artistas de Brasil e Portugal, os quatro estados brasileiros são Amazonas, Distrito Federal, Espirito Santo, Minas Gerais”, diz e acrescenta:

“Dessa forma optamos por uma dimensão sonora para a dramaturgia que prepara todo o terreno para a continuidade do projeto Bicharada, o que é composto por, pelo menos, mais duas fases de criação e execução até sua efetiva encenação.”

A segunda fase do projeto, que foi parcialmente contemplada pelo prêmio brasilei
ro Feliciano Lana, prevê a criação de cinco marionetas que protagonizam essa aventura amazônica. A primeira fase, iniciada em janeiro, será concluída em maio de 2021, e prevê o compartilhamento do processo de criação de uma dramaturgia autoral coletiva para podcast no formato de teatro radiofónico.

Toda essa primeira fase do projeto vem sendo realizada de maneira telepresencial através de plataformas digitais. Em especial, o GoogleMeet tem sido utilizado para realizar o processo de criação e todas as ações, da concepção à apresentação da leitura cênica, que também será transmitida via Rádio Jagube, canal Youtube, Portal das Artes MeVer, Instagram e Facebook.

O projeto é uma realização do @ arte e comunidade (Amazonas) e da @InsanaCena (Portugal) e conta com a parceria do @ Portal das Artes Mever (Distrito Federal), do @Estúdio Savana Rise (Minas Gerais), @CoLab (Minas Gerais), @Allegriah (Amazonas) e @ República 14 (Algarve – Portugal).

Programação Oficinas Formativas

01 – Oficina: Teatro e Telepresença
Oficineiro (a): Amanda Ayres e Guilherme Carvalho
Data: 04/05/2021 Duração: 3h
Hora: 14h (Manaus) | 15h (Brasília)

02 – Oficina: Formas Animadas I – Criação
Oficineiros: Guto Martins e Magnum Soares
Data: 05/05/2021 Duração: 3h
Hora: 16h (Manaus) | 17h (Brasília) | 20h (Portugal)

03- Oficina: Formas Animadas II – Manipulação
Oficineiros: Guto Martins e Magnum Soares
Data: 06/05/2021 Duração: 3h
Hora: 16h (Manaus) | 17h (Brasília) | 20h (Portugal)

04 – Oficina: Iniciação a escrita de projetos artísticos e culturais: da chuva de ideia a Prestação de Contas
Oficineira: Jackeline Monteiro
Data: 07/05/2021 Duração: 3h
Hora: 14h (Manaus) | 15h (Brasília)

05 – Oficina: Iniciação Teatral
Oficineira: Nath Diniz
Data: 10/05/2021 Duração: 3h
Hora: 16h (Manaus) | 17h (Brasília)

06 – Oficina: Objeto, Corpo e Memória: relação com os seres e objetos herdados por nossos Ancestrais.
Oficineiro: Leandro Lopes
Data: 11/05/2021 Duração: 3h
Hora: 14h (Manaus) | 15h (Brasília)

07 – Oficina: Aspectos Criativos da Produção de Podcast
Oficineiro (a): Matheus Ushag e Guto Martins
Data: 12/05/2021 Duração: 3h
Hora: 16h (Manaus) | 17h (Brasília)

Leitura cênica e apresentação do projeto

DATAS: 08 e 09 de maio de 2021
Horário: MANAUS 15:00

Publicações relacionadas

Câmara aprova uso obrigatório de máscara em todo o País

Redação

Atual globeleza e fofoqueiro da grobo, Sérgio Moro, ficou revoltadinho com o desarquivamento pelo MPF do processo de corrupção que pode atingi-lo

Redação

Chuva provoca cratera em avenida de Manaus

Redação

Deixe uma resposta