Amazonas Destaques Manaus

Após depoimento, CPI aponta indícios de que empresária seja ‘laranja’ em esquema

Manaus – Depoimento prestado nesta quarta-feira (22) pela dona da empresa Norte Serviços Médicos, a empresária Criselídia Bezerra de Moraes, apontou indícios de ocultação da identidade do verdadeiro responsável pela empresa, ou seja, uma ‘laranja’, segundo o deputado estadual Wilker Barreto (Podemos). A empresa é investigada por faturar mais de R$ 24 milhões em serviços no Estado.

Após a depoente não responder perguntas básicas referentes à empresa, o parlamentar ponderou que a comissão ‘fechou a linha de raciocínio’ sobre a investigação da lavanderia, que prestou serviços no hospital de campanha da Nilton Lins.

“É estarrecedor o que esta Comissão presenciou. Uma senhora extremamente abalada e que não tem conhecimento algum sobre a própria empresa. É visivelmente uma ‘laranja’, isso é uma grande maldade com esta senhora, é criminoso. Acredito que já temos o caminho de fechamento do raciocínio desta Comissão, pois já há indícios suficientes para que a CPI faça uma denúncia formal ao Ministério Público contra esta empresa”, explicou o titular da CPI como líder da oposição.

Silêncio Empresária não respondeu perguntas de parlamentares no depoimento (Foto: Reprodução/YouTube)

A Norte Serviços prestou serviços de lavanderia para o Governo do Estado durante a pandemia do coronavírus no Amazonas e alega ter lavado 44 toneladas de roupas no período de entre os dias 18 de abril e 30 de junho.
A empresária Criselídia Bezerra de Moraes, proprietária da Norte Serviços Médicos, foi questionada pelo Delegado Péricles, sobre a data que ela adquiriu a empresa. Ela disse que não lembrava. “Faz bastante tempo. Que não são dois nem três anos. Só me falaram que eu ia falar sobre a lavagem de roupa. Minha empresa lavou a roupa e não recebeu, isso que eu sei” disse a empresária.

Em seguida, foi perguntado se el adquiriu do senhor Victor Vinicius Souto dos Santos, por R$ 5 milhões a empresa Norte Serviços e se ela conhecia o senhor Victor. Criselídia continuou não respondendo o que foi perguntado. “Eu não sabia que ia responder uma monte de coisa. Eu não estava preparada, não trouxe documentação nenhuma. Eu me reservo a ficar em silêncio, eu vim falar só sobre a lavagem e roupa, eu entrei nessa só pela lavagem e roupa. Eu não devo nada a ninguém, eu não recebi e não cometi nenhum crime”, completou Criselídia.

O deputado Delegado Péricles (PSL) contou que estão investigando a empresa que ela é proprietária, e que foi adquirida por 5 milhões de reais e que a comissão precisava de informações da empresa. Que ela poderia responder ou permanecer calada. A empresária continuou negando a responder. “Eu me reservo a ficar em silêncio, eu tenho esse direito. Eu tenho 68 anos e eu não tenho porque viver uma situação dessa. Eu não cometi nenhum crime”, repetiu Criselídia.

Publicações relacionadas

Torcedores comemoram título do Flamengo na Ponta Negra

Redação

Motociclista morre em acidente de trânsito no bairro Alvorada

Redação

Santa Júlia não é responsável por perda de material de exame, decide Justiça

Redação

Deixe uma resposta