Amazonas Destaques Manaus

Amazonas está a um passo da fase vermelha da pandemia de Covid-19

Bate-rebate entre Bolsonaro e senadores do Amazonas repercute na mídia nacional

BR-174 está sendo monitorada

Deputado diz que Zona Franca é uma dádiva para o Brasil

Sábado de decisão no futebol amazonense

Dois pontos apenas

A Fundação de Vigilância em Saúde (FVS) do Amazonas emitiu um alerta nesta sexta-feira (21) apontando um salto de 16 para 19 pontos na classificação de avaliação de risco sobre o cenário da pandemia no Amazonas. Esse método de classificação diz que com até 20 pontos, o risco é moderado e a fase é laranja. Mas se a progressão for em saltos de três pontos, na próxima semana o Estado pode voltar à fase vermelha, de risco alto e acima dos 21 pontos.
Esse cenário é desenhado pelo número de óbitos e novos casos que, embora estejam estabilizados,se mantiveram altos.
E a fase vermelha significa a imediata adoção das restrições de circulação e fechamento das atividades comerciais.
O Amazonas adotou a fase vermelha em pelo menos três ocasiões desde o início da pandemia em março de 2020.

Prevenção reforçada

O alerta da FVS é mais no sentido de reforçar que a população volte a usar as máscaras e todos os procedimentos de isolamento, distanciamento social e uso de álcool gel para desinfecção porque o Estado não está livre da doença. Pelo que se vê nos noticiários, sobre aglomerações, festas clandestinas, balneários lotados e outras situações semelhantes, o governo do Estado vai passar por um desafio muito difícil, que é convencer a população de que a situação ainda é grave e pode piorar se os cuidados não forem reforçados.

ZFM enche noticiário nacional

A fala do presidente Jair Bolsonaro sobre a Zona Franca de Manaus e a reação dos senadores pelo Amazonas – Omar Aziz (PSD), Eduardo Braga (MDB) e Plínio Valério – (PSDB) repercutiu na grande imprensa nacional de forma estrondosa no dia de ontem. Desde a página do Senado Federal a pequenos sites e veículos do interior de Santa Catarina, por exemplo, publicaram o embate.

Nova indústria na ZFM

Enquanto os debates políticas enchem o noticiário, algumas empresas ainda apostam no modelo incentivado, como é o caso da Adata Technology, que está chegando agora no Polo Industrial de Manaus e começa a produzir de módulos de memória DRAM e SSD, para computadores e celulares já a partir de junho. A estimativa é de geração de 120 empregos, quase a mesma quantidade que a gigante LG vai gerar, quando transferir sua linha de monitores e notebooks para Manaus.

“ZFM é dádiva”, diz Sarafa

O deputado estadual Serafim Corrêa (PSB) disse que a Zona Franca de Manaus recebeu R$ 12 bilhões e gerou R$ 22 bilhões para o Brasil, o que, segundo ele,mostra a força do projeto. “É uma dádiva para o Brasil, conforme mostram os números e o presidente Bolsonaro precisa respeitar esse modelo e respeitar os amazonenses e não ficar fazendo ameaças, como aconteceu durante a semana”, afirmou.

DEM em cima do muro

Depois de apoiar candidatos tucanos em todas as disputas presidenciais desde 1994, o DEM vive uma crise de identidade e se afastou do projeto de formar uma frente ampla de centro na eleição presidencial. A legenda agora se divide entre a possibilidade de aderir de vez ao projeto de Jair Bolsonaro ou investir em um nome próprio. No Amazonas, o objetivo do partido é eleger Pauderney Avelino para a Câmara Federal.

Bosco Saraiva pensa em 2022

O deputado federal Bosco Saraiva (Solidariedade) disse que está avaliando o caminho a ser seguido no próximo ano. Uma coisa ele garantiu ao ÚNICO: que estará presente na disputa mas ainda vai definir em qual motivação, federal, estadual ou uma composição relativa a uma disputa para o Executivo estadual. “Vamos trabalhar isso com calma”, disse.

Mayra fala, mas não muito

O depoimento da médica Mayra Pinheiro, secretária de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde do Ministério da Saúde, marcado para a próxima terça-feira (25) na CPI da Pandemia, tem tudo pra ser, no mínimo, surreal. Na semana passado o STF negou a ela o direito de ficar calada, mas ontem o ministro Ricardo Lewandowski, reformulou a negativa e concedeu o direito ao silêncio, mas só no que diz respeito ao que aconteceu em dezembro de 2020 de janeiro de 2021. Isso porque a médica já responde processo na Justiça Federal do Amazonas, sobre esse período. Então ela vai ter que falar, mas não sobre o pior período da pandemia, enfrentado pelo Amazonas.

BR-174 monitorada

O rompimento da camada asfáltica da BR-174, que liga o Amazonas a Roraima, na altura do quilômetro 232 acendeu a luz laranja também no Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (Dnit), que está monitorando não um, mas quatro trechos da estrada. O estado de Roraima tem os trechos mais problemáticos e foi justamente próximo ao município de Rorainópolis, banhado pelo rio Anauá, que o incidente aconteceu. Ainda no trecho do Amazonas, o rio Anauá transbordou, passou por cima da pista e levou o asfalto consigo, provocando a interrupção da passagem de carros de pequeno e médio portes. Os caminhoneiros, se quiserem, podem passar, mas o Dnit está recomendando cuidados redobrados, pois não está sendo possível ver o leito da estrada, coberto pelas águas. Até este sábado a rodovia não havia sido totalmente interditada e as obras de recuperação não podem ser feitas debaixo d’água, então o quadro está indefinido.

Mais mudanças no trânsito

Em Manaus, a cheia já vai provocar uma nova alteração no trânsito da cidade. A partir de segunda-feira será alterado o itinerário dos ônibus no centro da cidade. Eles estavam liberados para passar pela avenida Floriano Peixoto, mas a subida das águas está impedindo esse trajeto também. Na segunda, agentes de trânsito da prefeitura vão estar em toda a área, no entorno da Praça da Matriz, Floriano Peixoto,Praça da Polícia, orientando motoristas e pedestres sobre as mudanças.

Cenário artístico

A cheia também desperta a criatividade dos artistas, como Jandr Reis que neste domingo (23) vai gravar um vídeo-instalação no cenário inundado do centro de Manaus, no trecho da avenida Eduardo Ribeiro, em frente ao Relógio Municipal. O projeto ‘Mãos Que Matam’ será uma reflexão sobre a agressão do homem contra os rios e sobre a cheia deste ano, que poderá bater recorde nos próximos dias, segundo os especialistas.

Decisão no futebol

São Raimundo e Manaus fazem neste sábado (22) a final do Campeonato Amazonense, a partir das 16 horas, na Arena da Amazônia. O São Raimundo joga pelo empate porque venceu o primeiro jogo por 2 a 1.

Publicações relacionadas

O mundo perdeu um grande defensor do meio ambiente.

Redação

Polícia Federal faz operação em Manaus contra extração ilegal de diamantes

Redação

Corredor Ecológico do Mindu entregue em 15 dias, em Manaus

Redação