Amazonas Destaques Manaus

AM chega a 1.050 casos confirmados do novo coronavírus; doença já deixou 53 mortos

O Amazonas registrou 69 novos casos confirmados do novo coronavírus e chegou ao pico de 1.050 confirmados, conforme boletim divulgado, neste sábado (11), pela Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM). A contaminação pelo vírus já deixou 53 mortos no Estado, sendo 45 apenas na capital amazonense.

De acordo com a FVS-AM, do total de casos confirmados no Estado, 932 foram registrados em Manaus e 118 no interior, com registro em 16 municípios. No interior, Manacapuru é a cidade com o maior número de casos confirmados, com 64 casos e três mortes.

A diretora-presidente da FVS-AM, Rosemary Pinto, informou que 75 mortes foram notificadas. 53 foram confirmadas, 15 foram descartadas e outras sete mortes seguem em investigação. A taxa de letalidade da doença no Amazonas chegou a 5%.

De acordo com o último boletim, o Laboratório Central de Saúde Pública do Amazonas (Lacen-AM) está com amostras de 220 pacientes para descartar ou confirmar a suspeita para Covid-19.

Do total de casos confirmados no Estado, conforme a FVS-AM, 747 estão em isolamento social ou domiciliar, 44 estão foram do período de transmissão e 206 estão internados em leitos clínicos e Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs).

Veja os números de casos confirmados por município:

  • Manaus: 932 (45 mortes)
  • Manacapuru: 64 (3 mortes)
  • Itacoatiara: 11
  • Iranduba: 11
  • Santo Antônio do Içá: 7
  • Parintins: 6 (2 mortes)
  • São Paulo de Olivença: 5
  • Tonantins: 3
  • Anori: 2
  • Careiro da Várzea: 2
  • Presidente Figueiredo: 1 (1 morte)
  • Tabatinga: 1
  • Boca do Acre: 1
  • Manicoré: 1 (1 morte)
  • Novo Airão: 1 (1 morte)
  • Tefé: 1
  • Careiro Castanho: 1

O caso que havia sido confirmado no município de Maués passou a integrar os números de casos confirmados da capital, depois que a equipe de investigação da FVS apurou que a contaminação pelo novo coronavírus ocorreu em Manaus, e não no município de origem do paciente.

O mesmo ocorreu com casos confirmados de Tabatinga e Presidente Figueiredo. Os municípios apresentavam dois casos cada um, mas após investigação da FVS, um caso de Tabatinga e um caso de Presidente Figueiredo foram confirmados para Manaus.

De acordo com Rosemary Pinto, o isolamento social continua sendo fundamental para reduzir a contaminação por coronavírus no estado, embora o Amazonas tenha registrado o terceiro dia consecutivo de queda no número de casos confirmados.

“Nós estamos esperando um expressivo aumento do número de casos para a última quinzena de abril e a primeira quinzena de maio. A projeção vai depender da quantidade de pessoas que continuam circulando. Infelizmente nós fomos para destaque da mídia ontem, onde foi publicado que Manaus é a capital com maior número de não adesão ao isolamento social. Então isso também ajuda a explicar porque hoje nós somos a capital do país com a maior incidência de casos”, ressaltou a diretora-presidente da FVS.

Internados na rede pública de saúde

De acordo com o boletim divulgado pela FVS-AM, neste sábado (11), 206 casos confirmados de Covid-19 no Amazonas estão internados. Há 130 pacientes em leitos clínicos e 76 em UTI. Outros 312 pacientes estão internados com suspeita do novo coronavírus, sendo 267 em leitos clínicos e 45 em UTI.

O número de internados em leitos clínicos da rede pública de saúde, entre suspeitos e confirmados, é de 265. Em UTIs da rede pública, há 42 pacientes confirmados e 15 suspeitos.

Com a capacidade máxima operacional atingida, o Hospital e Pronto Socorro (HPS) Delphina Aziz, referência no tratamento de pacientes com Covid-19 no Amazonas, aguarda a contratação de novos médicos para ampliar o número de leitos clínicos e de UTI ativos na unidade.

O Governo do Amazonas informou, por meio de nota, que está em processo de ampliação do quadro de recursos humanos na unidade, que ainda dispõe de leitos, mas precisa de reforço de recursos humanos. Atualmente 60 dos 69 leitos de UTI estão ocupados.

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, disse, neste sábado (11), que o governo federal vai construir um hospital de campanha em Manaus. Mandetta deu a declaração durante visita às obras de um hospital, também de campanha, em Águas Lindas, cidade goiana no entorno de Brasília. De acordo com o ministro, o hospital de Águas Lindas servirá de modelo para outros que serão construídos em outros cidades do país, com o objetivo de atender casos decorrentes de infecção por coronavírus.

Publicações relacionadas

Chuva causa mais de 20 ocorrências de alagamentos e deslizamentos em Manaus, e uma pessoa fica ferida

Redação

Parintins aumenta toque de recolher e volta a proibir o funcionamento de bares e casas noturnas

Redação

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Redação

Deixe uma resposta