Amazonas Destaques Manaus

700 novos casos de câncer de colo de útero serão registrados no Amazonas, prevê Inca

Março lilás conscientiza sobre a importância do exame preventivo do câncer de colo de útero. — Foto: Divulgação
Março lilás conscientiza sobre a importância do exame preventivo do câncer de colo de útero. — Foto: Divulgação

Março lilás conscientiza sobre a importância do exame preventivo do câncer de colo de útero. — Foto: Divulgação

O Amazonas deve registrar em 2020 um total de 700 novos casos de câncer do colo de útero, sendo 580 só em Manaus, de acordo com o Instituto Nacional de Câncer (Inca). A doença, que é causada por meio do contato sexual pode ser diagnosticada e prevenida com a vacina contra o papilomavírus humano (HPV).

Segundo o diretor-presidente da Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), o câncer de colo de útero é o que possui maior incidência entre as mulheres no estado.

“A situação do nosso estado em relação ao câncer de colo é extremamente vergonhosa. Enquanto no resto do país o principal câncer da mulher é o de mama e não o de colo, no nosso estado é exatamente o contrário. O câncer de colo de útero é o que mais temos”, disse.

Ainda segundo ele, apesar de ser uma doença que pode ser prevenida, os casos que chegam à Fundação já estão, na maior parte das vezes em estágio avançado, gerando um custo de R$ 18 milhões por ano para o Estado para tratar os casos.

“É uma doença 100% prevenível e já era para ter sido combatida no Estado. Os casos que chegam à Fundação são avançados. Precisamos romper isso. Hoje gastamos quase R$ 18 milhões por ano só para tratar câncer de útero, pois eles chegam aqui avançados, aí você precisa fazer cirurgia, radioterapia e quimioterapia”, contou.

“A dor perda é irreparável”

Só quem já perdeu alguém para a batalha contra o câncer, sabe o quanto é necessário que cada vez mais a população se conscientize a respeito da prevenção.

A doméstica Joelma Ramos perdeu, há cinco meses, a prima Rafaela Ramos, de 37 anos para o câncer de colo de útero. Segundo ela, o diagnóstico demorou a ser feito. Ao todo, foi um ano e seis meses lutando pela vida.

“Ela sentia muita dor. Primeiro foi diagnosticada com mioma, e depois se tornou um câncer. Depois ela se foi. É uma situação que só quem passa pode dizer. É a sensação de perder uma grande batalha. É uma doença que mata aos poucos, e o câncer não mata só o paciente, mata a família inteira”, desabafou.

Março Lilás

Março é considerado o mês de prevenção ao câncer de colo do útero. Em todo o país, acontece um cronograma para conscientização e combate da doença. O objetivo é alertar sobre a importância da realização dos exames preventivos e da vacinação contra o HPV.

No Amazonas, as ações seguem na capital e no interior até o fim da campanha. Com o tema “A vida sendo cuidada por onde ela iniciou: pelo colo do útero”, a segunda edição do Março Lilás terá palestras em escolas e órgãos públicos, além de ações em ruas de Manaus para conscientizar sobre a prevenção ao câncer de colo uterino, a importância da realização anual do exame preventivo (Papanicolau) e da vacinação contra o Papilomavírus Humano (HPV). O movimento foi criado a partir da Lei 4.768/2019, sancionada pelo governador Wilson Lima em 11 de janeiro de 2019.

Publicações relacionadas

Morre com coronavírus o cantor Carlos José, sucesso nos anos 60 e 70

Redação

Jornalista idiota, babaca, esquerdista doente que pediu a morte de todo clã bolsonaro e dos pastores da Universal foi demitido

Redação

MP de Bolsonaro destina R$ 1,99 bilhão para viabilizar vacina contra covid-19, só falta o congresso e o STF serem contra

Redação

Deixe uma resposta