Destaques Esportes

Flamengo vira contra o River Plate e conquista a Libertadores

Final não se joga, se ganha. A máxima vale até para um time que voltava a disputar uma decisão de Libertadores depois de 38 anos. O gigante Flamengo acordou e mostrou que o peso do jejum não era páreo para o de sua camisa e de sua torcida. Embora dominado pelo River Plate , venceu por 2 a 1 nos minutos finais e voltou a erguer a taça contra o atual campeão, em Lima, no Peru. Teve gol de Gabigol , que balançou a rede duas vezes, aos 43 e 46 minutos do segundo tempo e garantiu o bicampeonato.

Marcelo Barreto: Flamengo tem um reencontro com a história

“Fica, Gabigol”, gritaram os flamenguistas após a conquista do título. O jogador fez o símbolo de um coração para as arquibancadas.

Mansur: No Flamengo campeão, o talento mostra que sempre há uma saída

O discurso de que a experiência na disputa de finais da Libertadores ajudaria no lado emocional parecia fazer sentido o jogo todo. Embora tecnicamente superior, o Flamengo não conseguiu se impor como de costume e viu o River se sobrepor aos poucos no Monumental. O comportamento das torcidas indicava a apreensão do Flamengo em razão do jejum. Enquanto de um lado os argentinos voltavam a uma decisão para defender o título, do outro os rubro-negros se mantiveram apreensivos. Mas isso mudou no fim. Ao perceber que o Flamengo não conseguia reagir, os rubro-negros tiraram forças do próprio desespero e empurraram a equipe. Deu certo.

Em campo, a estratégia de Marcelo Gallardo foi conter o ímpeto inicial dos rubro-negros e forçar o erro nos passes. Sem conseguir ficar com a bola muito tempo, o Flamengo deu brechas para contra-ataques perigosos dos argentinos, que abriram o placar cedo. Depois de sofrer o gol de Borré, que entrou sem marcação na área após cruzamento de Nacho Fernandez, o Flamengo simplesmente não conseguiu tocar a bola e voltar para o jogo. Só a quinze minutos do fim.

Mesmo assim, o time mal conseguiu entrar na área. Gerson teve dificuldade de pensar o jogo e saiu com dores no segundo tempo. A entrada de Diego mudou pouco o panorama. O time parecia já não encontrar forças para reagir. Até porque precisava se preocupar em não levar o segundo gol, que sepultaria as esperanças. A melhor chance veio ainda no início da etapa final, em boa jogada de Bruno Henrique, que sobrou para Éverton Ribeiro quase empatar.

O último suspiro da torcida do Flamengo veio aos trinta minutos. Quando o Flamengo melhorou. Faltava a bola entrar. Mas Gabigol estava lá, iluminado, para completar as duas últimas jogadas da partida.

Related posts

‘É possível fazer ensino público gratuito eficaz’, disse Arthur, ao visitar obra de escola no Santa Etelvina

admin

TCE-AM alerta prefeituras sobre limites de gastos

admin

Jacaré surge no meio da rua e deixa populares desesperados no Centro de Manaus

admin

Leave a Comment