Amazonas Cotidiano Destaques Manaus

Monumento histórico vira ‘fortaleza’ do tráfico de drogas em Manaus

Manaus – Um prédio que resiste às ações do tempo há mais de 130 anos. Atualmente, as ruínas da antiga usina da Cachoeira Grande, conhecida popularmente como ‘Castelinho’, localizada no beco Santa Terezinha, no bairro São Jorge, Zona Oeste de Manaus, são cercadas por palafitas e usadas como uma grande fortaleza do tráfico de drogas.

O EM TEMPO recebeu a denúncia sobre o intenso movimento de usuários de entorpecentes e de alta criminalidade que amedronta os moradores da região. Ao conferir “in loco” a situação, a equipe de reportagem foi intimidada e sofreu represália de um grupo criminoso que domina a localidade.

Em meio a ameaças, os profissionais foram revistados e impedidos de conhecer o famoso ‘Castelinho’, um prédio que marca a história do saneamento básico da capital amazonense, mas hoje é denominado área de risco para a população.

“Aqui, é uma área vermelha, não pode tirar foto”, declarou uma das líderes do bando ao expulsar a equipe de reportagem que tentou acessar o local.

Nos arredores da antiga represa, a degradação do meio ambiente é notória, devido ao crescimento desordenado da cidade. No tempo de seca, o igarapé do São Jorge, onde também deságua o igarapé do Mindu e dos Franceses, que antes era ponto de lazer para a população, hoje em dia está poluído. O lixo que percorre o igarapé gera um contraste com a história do lugar.

Ruínas da Usina da Cachoeira Grande é utilizada por traficantes. Foto: Lucas Silva

O especialista em história do setor elétrico e engenheiro mecânico, Frederico Cesarino, explicou que a usina foi construída após a realização de estudos hidrológicos que descobriram que a água do igarapé da Cachoeira Grande tinha a melhor qualidade para ser utilizada como potável, naquela época.

O Castelinho era o local onde eram abrigados os maquinários da represa. “Por terem sido feitas as análises da qualidade da água, foi decidido construir a represa no igarapé da Cachoeira Grande, porque não era muito longe do Centro da cidade, ficava cerca de três quilômetros em linha reta, e era mais tranquilo para bombear a água”, disse.

Ainda conforme o especialista, o reservatório foi construído em 1875, para ser uma usina que pudesse bombear água para a população de Manaus. “O objetivo era bombear água para o reservatório do Moco, que era um dos pontos mais altos da cidade na época, e, de lá, distribuída”, contou.

Durante seu funcionamento, a usina abasteceu com água encanada o prédio da antiga Santa Casa de Misericórdia, do Quartel do 3º. Batalhão de Artilharia, do Quartel da Polícia, do Palácio da Presidência e do Instituto Amazonense, além de dezenas de moradias da cidade.

“Não existe um registro histórico de quando a represa deixou de operar, mas ela foi substituída pelo reservatório da Ponta do Ismael. Tempo em que a cidade expandiu”, informou o especialista. Ele relembrou, ainda, que, em 2017, teve a oportunidade de conhecer o “Castelinho”.

“Na época, eu fui bem recebido. O prédio ficou abandonado junto com os maquinários e, quando visitei o local, pude ver essas máquinas que são de origem inglesa e americanas”, relatou. 

Ruínas da Usina da Cachoeira Grande é utilizada por traficantes. Foto: Lucas Silva

Por medo, os poucos moradores que concederam entrevista não quiseram se identificar. Eles relembram os tempos que viveram quando o local era usado como balneário. “A gente pescava e muita gente se reunia na beira da antiga ponte para se divertir”, disse um deles.

Uma dona de casa relatou que as dependências do “Castelinho” já chegaram a ser usadas como Centro Comunitário. Contou, ainda, sobre as dificuldades no tempo da cheia. “É descaso de saúde pública, vivemos em uma área critica, principalmente na época da chuva”, lamentou.

Posicionamentos

A Secretária de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) informou que o policiamento na área é feito pela 21ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), da Polícia Militar. A denúncia da reportagem será encaminhada para o setor responsável por apurações da SSP. O órgão ressaltou a importância da população denunciar, anonimamente, pelo telefone 181, para que a polícia possa atuar nessas regiões.

A PM comunicou que são realizados Pontos de Relacionamento Comunitário e Visibilidade (PRCV’s), que são viaturas postas em locais estratégicos, visando ter maior proximidade com os frequentadores do local, além de agilizar o atendimento das ocorrências naquela região.

Habitação

Há dois anos, a Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra) definiu, junto com Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), a retomada em definitivo das obras de revitalização urbanística e social do Igarapé da Cachoeira Grande.

Conforme material divulgado na época, além da urbanização da área, situada entre as avenidas Arthur Bernardes e Kako Caminha, no bairro de São Jorge, seriam realizados serviços de requalificação urbanística do igarapé da Cachoeira Grande, com obras de terraplenagem, macrodrenagem, microdrenagem, pavimentação e a implantação de duas quadras bairros totalizando 512 habitações para o atendimento das famílias vitimadas pelo incêndio de 2012, na comunidade Arthur Bernardes.

Em resposta, a Seinfra informou que as obras de urbanização das duas quadras bairros no local mencionado, incluindo cinco equipamentos urbanos (sendo um Centro de Referência da Assistência Social (Cras), um Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), uma Escola de Ensino Fundamental, uma Unidade Básica de Saúde (UBS) e uma creche), estão com 85% de conclusão, e a previsão é que sejam totalmente finalizadas pela atual gestão até o final de dezembro deste ano. 

Quanto às unidades de habitação, o Governo do Estado está em tratativas junto à Caixa Econômica Federal (CEF) e ao Ministério do Desenvolvimento Regional para viabilizar a construção das moradias. O projeto está sendo reformulado para melhor atender à população e deve ser revisado pela CEF. As construções devem iniciar em meados de 2020.

Related posts

Vítimas do incêndio no Educandos são ouvidas pela Defensoria Pública

admin

Prefeitura inaugura árvore de Natal sustentável na Max Teixeira

admin

PM detém suspeito de porte ilegal de arma de fogo e tráfico de drogas no Águas Claras

admin

Leave a Comment