Homem que fingia ser servidor público para aplicar golpes em lojas de Manaus é preso, diz polícia do AM

0
461

Um homem de 30 anos foi preso em Manaus suspeito de se passar por servidor público para aplicar golpes em lojas na capital. Segundo informações repassadas pela Polícia Civil nesta terça-feira (6), ele foi preso em cumprimento de mandado de prisão preventiva por estelionato, falsificação de documento público e uso de documento falso.

De acordo com o titular do 19º Distrito Integrado de Polícia (DIP), Aldeney Goes, as investigações em torno do caso tiveram início no dia 17 de julho deste ano, quando a vítima do crime, de 32 anos, compareceu à unidade e comunicou que uma pessoa estaria usando o nome dela para fazer compras em shoppings de Manaus.

Durante as diligências, foi constatado que o suspeito utilizou documentos falsos em nome do servidor público para fazer compras e obter crédito em bancos.

“Chegamos até o infrator por meio das redes sociais, onde ele postava fotos, com frequência, exibindo os objetos que comprava de forma ilícita. Ressalto que ele já estava planejando aplicar novos golpes usando o nome de uma outra pessoa. No entanto, conseguimos detê-lo antes. As investigações irão continuar, até identificarmos, também, quem emitiu a documentação irregular para ele”, explicou Goes.

A equipe da unidade policial efetuou a prisão no início da tarde de segunda-feira (5), por volta de 12h, no bairro Alvorada, Zona Centro-Oeste da capital. Com ele, os policiais civis apreenderam uma Carteia Nacional de Habilitação (CNH), além de contracheques e comprovantes de residência – todos em nome da vítima.

A ordem judicial em nome do infrator foi expedida no dia 18 de julho deste ano, pelo juíza Themis Catunda de Souza Lourenço, da Comarca de Manaus. O homem foi indiciado por estelionato, falsificação de documento público e uso de documento falso.

Ao término dos procedimentos cabíveis no prédio do 19º DIP, ele será encaminhado ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde irá permanecer à disposição da Justiça.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here