Previdência capacita servidores em mapeamento de processos

0
203

A Manaus Previdência vai investir na capacitação dos membros do Comitê
Multiplicador da Qualidade (CMQ) para o uso da ferramenta Bizagi, freeware de gestão de processos que permite desenhar, diagramar, documentar e publicar os processos utilizando o padrão Business Process Model and Notation (BPMN). Os ajustes da capacitação foram definidos em reunião nesta segunda-feira, 08/07, entre representantes de setores envolvidos. O intuito é que os servidores produzam os fluxogramas dos processos de seus setores, tornando o procedimento acessível a todos e agilizando a criação e/ou atualização dos mesmos.
“Até então, a responsabilidade da criação e atualização dos fluxogramas ficava a cargo da Assessoria Técnica, com apoio do Setor de Tecnologia da Informação”, explica a responsável pelo Comitê de Gestão da Manaus Previdência, Márcia Assunção.
“Mas, a direção da autarquia definiu pela amplitude de operação desse processo a partir do fortalecimento da utilização da notação PBMN e o uso da ferramenta Bizagi, que formam uma das cinco Boas Práticas de Gestão conquistadas pela previdência após auditoria do Governo Federal, o que contribui para a disseminação do conhecimento organizacional”, complementa.
Os fluxogramas são parte fundamental na organização e orientação de uma empresa. A partir da sua leitura é possível perceber e medir a eficiência da organização, assim como o valor agregado (resultado) que os procedimentos produzem em busca de um determinado objetivo. “Isso nos possibilita analisar toda a cadeia do processo, vendo onde há possibilidade de melhorias”, diz Assunção.
O curso para o uso da ferramenta ficou a cargo do servidor José Augusto Vieira, do Setor de Tecnologia da Informação (Stin), que ministrará as aulas nos dias 29 e 30 deste mês, no laboratório de informática da autarquia.
Segundo Vieira, antes da adoção do Bizagi pela Assessoria Técnica (Astec), em 2015, os processos eram feitos de forma textual, sem padronização. “O quadro mudou a partir do mapeamento e automatização dos processos, que também possibilita a evidenciação de possíveis falhas ao longo da cadeia do processo, permitindo os reajustes necessários de forma mais célere”.
Conforme Assunção, a meta é que em agosto os membros do CMQ já estejam aptos a utilizarem a ferramenta nos seus setores.
Além do CMQ, Astec e Stin, também participou da reunião representantes do Setor de Gestão de Pessoas (Sgep).

Ascom – Manaus Previdência
Texto e fotos: Marcia Claudia Senna / Manaus Previdência

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here