Temer diz que Congresso é ‘senhor do processo’ na reforma da Previdência

0
2

O presidente da República, Michel Temer, disse hoje (10) que está negociando a reforma da Previdência com o Congresso Nacional e que as alterações de pontos do projeto estão sendo feitas dentro uma dinâmica natural de diálogo. Ele ressaltou, no entanto, que o Congresso é o “senhor do processo”.

“Nós enviamos essa proposta ao Congresso Nacional, que naturalmente agora é o senhor desse processo. Nós estamos até negociando os termos da reforma a ser aprovado. É uma dinâmica natural do diálogo, inerente à experiência democrática”, disse Temer ao discursar em jantar oferecido a ele pela comunidade libanesa da capital paulista.

Temer defendeu que o projeto enviado ao Legislativo visa evitar a falência do sistema e combate atuais privilégios. “De nossa parte, nós temos um duplo objetivo: adaptar a Previdência à nossa realidade demográfica, tornando-a financeiramente sustentável, e salvando-a da falência. E, naturalmente, combater privilégios”, disse.

No discurso de aproximadamente 25 minutos, no clube Monte Líbano, na zona sul da capital, o presidente lembrou de ações de seu governo, como a reforma do ensino médio e o combate à inflação e aos juros. “Já começamos a colher os resultados. O risco país, aquele que nos tirou o grau de investimento, estava 575 pontos negativos. Agora estamos na casa de 270 pontos. Quando chegarmos a 240, nós recuperaremos nosso grau de investimento”, ressaltou.

Síria
Temer também manifestou preocupação em relação aos conflitos envolvendo a Síria e defendeu a paz na região. O presidente disse ainda que o Brasil está aberto aos refugiados sírios. “Eu rogo a Deus que ilumine todos aqueles que habitam a Síria, governantes e governados, e as nações do mundo todo, particularmente as integrantes da ONU, para que logo tenhamos paz naquele país vizinho que, de alguma maneira, tem no Líbano o agasalho para muito dos refugiados sírios”, disse.

“Eu tenho dito, como já disse na assembleia-geral da ONU, nós aqui no Brasil estamos abertos aos refugiados sírios, como estivemos abertos ao longo do tempo para toda imigração mundial”, acrescentou.

Temer disse ainda que irá se empenhar para o avanço do acordo de livre comércio entre Mercosul e o Líbano. “Ficou paralisado um pequeno tempo, mas eu quero agora incrementá-lo”, disse.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA