Enfermeiro cria campanha para arrecadar donativos para crianças indígenas do Alto Solimões

0
4

Depois de presenciar, após um parto que ajudou a fazer numa aldeia indígena, que o recém-nascido não tinha nenhuma peça de roupa para vestir, o enfermeiro Leonardo Paiva, do Distrito Sanitário de Saúde Indígena (Dsei) do Alto Rio Solimões, criou a campanha “Curumim Solimões”. O objetivo é arrecadar fraldas, roupas infantis, material de higiene e leite (tipo complementar nestogeno 1 e 2) para serem doados às crianças indígenas de 0 a 5 anos daquela região.

A arrecadação pode ser feita até o próximo dia 25. O ponto de entrega fica no Hospital Check-Up, localizado na avenida Jornalista Umberto Calderaro Filho, antiga Paraíba, no bairro Adrianópolis, Zona Centro-Sul.

Conforme Paiva, o Polo-Base da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) em Belém do Solimões, no qual está lotado, é responsável pelo atendimento de 27 aldeias, com um total de 11 mil indígenas, sendo 1,9 mil crianças, e em torno de 100 delas estão abaixo do peso. “Nossa meta é conseguir o máximo de todos os produtos possíveis para ajudar o maior número de crianças, pois elas precisam muito de tudo o que estamos pedindo”, enfatizou o enfermeiro.

Esta é a segunda vez que Leonardo Paiva promove uma campanha para arrecadar materiais para doar às crianças indígenas do Alto Solimões. Conforme ele, as dificuldades enfrentadas pela população o motivam a querer ajudar ainda mais. “A experiência de dois anos e cinco meses trabalhando na área indígena, vendo aquela situação que não muda muito, ano após ano, é que me sensibilizou a querer, por esforço pessoal, começar a ajudar de alguma forma”, revelou.

O enfermeiro destacou que uma equipe multidisciplinar – composta por 14 técnicos de enfermagem, seis enfermeiros, quatro médicos, um farmacêutico bioquímico, um nutricionista e um psicólogo – trabalha no Polo-Base em Belém do Solimões, mesmo assim, ainda é pequena para a quantidade de indígena que são atendidos. “Mas a gente faz o que pode para ajudar. Esta ação, apesar de ter começado sozinho, a equipe toda está apoiando”, frisou Paiva.

Equipe de saúde que atua no Polo Base de Belém do Solimões

Apoio
Em Manaus, o enfermeiro conta ainda com a parceria do Hospital Check-Up, do tenente Carpê Andrade, da advogada Aleandra Maia, além de grupos de corrida da capital. Ele também já conseguiu um barco que levará os produtos arrecadados direto para as aldeias.

Contribuição para contrair doenças

O enfermeiro Leonardo Paiva relata que muitas crianças indígenas usam roupas velhas dos irmãos maiores e a maioria das vezes elas andam descalças – por não terem vestimenta adequada ou calçado –, o que, junto com a falta de cuidados e higiene, contribui para que contraiam vários tipos de doenças, como de pele, parasitose, verminose, diarreia, vômito, entre outras.

Por isso, são muito importantes as orientações dadas pela equipe do Dsei do Alto Rio Solimões sobre os cuidados com o banho, as roupas, a lavagem das mãos e dos alimentos, bem como contribuir e oferecer melhores condições às crianças.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA